A Polícia Judiciária de Vila Real deteve um dos filhos da mulher de 67 anos que desapareceu no passado dia 4 de outubro, na localidade de Bragadas, concelho de Ribeira de Pena.

O homem foi detido no domingo, dia 7, e confessou que matou a mãe. É suspeito de homicídio e profanação de cadáver.

Até ao fecho desta edição, o corpo ainda não foi descoberto, tendo sido acionadas equipas cinotécnicas da GNR, com cães especializados na deteção de cadáveres.

Os depoimentos que o homem, de 38 anos, prestou às autoridades foram considerados confusos. Num primeiro momento, terá dito que empurrou a sua mãe, Áurea Limões, para um terreno junto à Estrada Nacional 312, perto de Bragadas.

No sábado à noite, dia 6, bombeiros e militares da GNR fizeram buscas na área apontada pelo homem. Foi até chamada uma equipa de sapadores para limpar a vegetação alta que existia naquela zona, mas a operação revelou-se infrutífera. Não foi encontrado sinal da mulher.

Buscas no rio

Mais tarde, o homem mudou a versão e disse à PJ que se desfez do corpo da mãe num rio próximo da aldeia. No domingo uma equipa de bombeiros e militares da GNR bateu as margens e o leito do rio em busca do cadáver da sexagenária, mas também sem sucesso.

Áurea Limões Mirandela foi vista pela última vez no passado dia 4 de outubro, ao fim da tarde, quando ia em direção à aldeia vizinha de Santo Aleixo, percurso que era habitual fazer sozinha.

O alerta para o desaparecimento foi dado à GNR, que acionou a PJ de Vila Real, por “haver suspeitas de crime devido ao historial de violência doméstica” entre a mulher e um dos filhos, agora detido.

loading...
Share.

Deixe Comentário