O presidente da União das Misericórdias, Manuel de Lemos, visitou, no passado dia 7 de janeiro, o Hospital da Misericórdia de Valpaços, acompanhado por Manuel Pizarro, médico, eurodeputado e ex-secretário de Estado da Saúde.

O Hospital da Misericórdia de Valpaços abriu a 4 de novembro de 2019, depois de o concelho ter passado oito anos sem um hospital. Com pouco mais de um ano de existência, este estabelecimento hospitalar conta com mais de uma dezena de especialidades (Oftalmologia, Fisioterapia, Cirurgia Geral, Cardiologia, Pediatria, Cirurgia Vascular, Clínica Geral, Medicina Alternativa, Urologia, Ortopedia, Psicologia, Psiquiatria, Ginecologia e Obstetrícia, Neurologia e Otorrinolaringologia), Unidade de Cuidados Continuados de Média Duração e Reabilitação e vários acordos, entre eles com o Serviço Nacional de Saúde e a ADSE.

A visita guiada da passada quinta-feira pelas instalações do Hospital foi feita por Altamiro Claro, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Valpaços: “Este hospital é um grande desafio que se colocou à Misericórdia de Valpaços. Estava fechado desde 2011. E entendemos que era estratégico, não só para o concelho, mas também para a região, a abertura deste hospital, que é o único hospital da Misericórdia no Interior do país, e com uma tradição histórica com muitos anos porque a Misericórdia de Valpaços nasceu por causa do seu hospital. Hoje estão reunidas as condições para podermos ser um hospital de referência pela qualidade na região de Trás-os-Montes”.

Durante a visita foram vários os elogios tecidos às instalações e aos equipamentos do Hospital.
“Conheço o Hospital, já sabia que estava assim. Está muito bem equipado. Tem uma sala de bloco como muitos hospitais centrais portugueses não têm. Está muitíssimo bem equipado, e é uma mais-valia para a região”, realçou Manuel de Lemos que referiu que esta visita a Valpaços aconteceu no âmbito da vacinação contra a Covid-19, pois este era “um concelho que nos preocupava”, devido ao elevado número de casos ativos, essencialmente nos lares da Misericórdia.

Outro dos objetivos desta visita foi mostrar o hospital em pleno funcionamento a Manuel Pizarro, que elogiou também as instalações: “Fiquei muitíssimo bem impressionado. Muito mais como médico até do que como responsável político. Sou médico e tenho uma ampla experiência profissional, e devo dizer que o que aqui temos é um pequeno hospital, adequadamente dimensionado para a realidade local e para o perfil de serviços que se espera que possa vir a prestar, mas é ao mesmo tempo um hospital extraordinário do ponto de vista da sua modernidade, da qualidade técnica, das garantias de conforto e de segurança. Acho que é uma mais-valia inacreditável para Valpaços e para toda a região envolvente”.

O Hospital da Misericórdia de Valpaços realizou a primeira Tomografia Computorizada (TAC/TC) no passado dia 12 de janeiro, seguindo-se mais seis TAC e 17 Raio-X nesse mesmo dia.

Hospital é trunfo no combate à desertificação

Para além dos rasgados elogios às instalações e equipamentos, outro ponto muito destacado durante a visita foi a importância que este Hospital tem para a economia do concelho.

“Tanto eu como o senhor presidente da Câmara de Valpaços entendemos que este Hospital tem uma importância estratégica para o concelho porque atrai pessoas e acho que é uma forma efetiva de lutar contra a desertificação do Interior”, destacou Altamiro Claro.

Manuel de Lemos e Manuel Pizarro partilham da mesma opinião: “O principal fator numa unidade de cuidados de saúde são os recursos humanos, e a Misericórdia de Valpaços teve o engenho de atrair uma equipa muito vasta, muito multifacetada de gente jovem, com excelente formação. E é fantástico, num país que com justiça está sempre a falar de desertificação, isto é, da fuga de pessoas das pequenas terras do Interior para o Litoral e para as grandes cidades, assistirmos aqui à vinda de jovens profissionais já muito qualificados, que são originários daqui de Valpaços e que regressaram dos hospitais centrais do Porto ou de Lisboa para virem trabalhar no Hospital da Misericórdia de Valpaços. Acho que isso ilustra perfeitamente bem como isto é tão importante do ponto de vista socioeconómico”, sublinhou o eurodeputado.

A Misericórdia de Valpaços tem hoje cerca de 350 funcionários e o expectável é que no final do ano este número esteja ainda mais próximo dos 400.

Manuel de Lemos garante que vacinação contra a Covid-19 está a “correr bastante bem”

O arranque da vacinação de utentes e funcionários das misericórdias do país contra a Covid-19 arrancou na segunda-feira, dia 4 de janeiro. As primeiras vacinas foram administradas em Cardigos, no concelho de Mação e, apesar de este município ter duas misericórdias, o presidente da União das Misericórdias explicou que a vacinação aconteceu apenas em uma delas, por existir um surto.

Os primeiros 25 concelhos foram vacinados até ao passado dia 7 de janeiro, e ainda nesse dia saiu uma lista com mais 70 municípios.

“[A vacinação] está a correr bastante bem. Esta experiência foi boa, está a correr bem. Sei que não houve nenhuma pessoa a sentir-se mal ou que tenha tido qualquer incómodo com a vacinação. E também não tivemos recusas à vacinação, e eu penso que isso é também muito importante”, destacou Manuel de Lemos durante a visita ao Hospital da Misericórdia de Valpaços, no passado dia 7 de janeiro.

Maura Teixeira

In: A Voz de Chaves, edição de 14 de janeiro

Partilhar

Comentários | Seja educado na sua opinião