O médio Gustavo Souza é o único jogador do Desportivo de Chaves que acompanhou a equipa desde a 2ª Divisão até à Liga. Apesar de ainda não se ter estreado no escalão máximo do futebol português, o brasileiro de 32 anos preferiu ser emprestado ao Pedras Salgadas para somar minutos… e golos também. Em três jogos no Campeonato Portugal já faturou por quatro vezes.

A Voz de Chaves: Para já três jogos quatro golos, de onde vem a veia goleadora?
Gustavo Souza: Os quatro golos aconteceram naturalmente. Espero continuar a marcar muitos mais…

Como está a correr a aventura no Pedras?
Tem sido uma experiência muito positiva. Voltar a jogar com regularidade e não ter problemas com lesões tem me deixado muito feliz e isso reflete-se em campo.

A equipa estava numa ma fase mas agora tem crescido. Acredita na manutenção?
Os pontos na tabela classificativa não refletem a qualidade que há no Pedras Salgadas. Tenho a certeza que os objetivos vão ser alcançados.

É importante para a região o Pedras manter-se?
Sim é muito importante. Assim como é importante o Mirandela, Montalegre, Bragança! Trás-os-Montes é uma região apaixonada por futebol e merece mais equipes em competições profissionais além do GD Chaves.

Como analisa a época do Chaves até agora?
O Chaves tem feito uma época de sonho. Tem se mantido nos lugares europeus com futebol de qualidade e com a já conhecida raça transmontana.

Esperava ficar até final da temporada?
Eu continuo a fazer parte do plantel do Chaves, apesar de não poder jogar mais até ao fim da temporada. Me sinto uma parte importante do grupo e muito tenho a agradecer à direção, equipa técnica e aos meus colegas de trabalho pois fui eu que tomei a iniciativa de sair para jogar…

Faltou a estreia na primeira liga…
Foi por pouco a estreia na primeira liga… mas não sabemos o dia de amanha…
A equipa tem sofrido muitas baixas, do treinador aos jogadores…
Só faz falta quem cá está.

Acredita que o Chaves pode continuar a fazer boa época na Liga e Taça?
O ponto forte do Chaves é o seu conjunto e não as suas individualidades. Chegaram jogadores com muita qualidade e acredito que vão ajudar o grupo a atingir os objetivos. Sem dúvida vai continuar a fazer um bom campeonato, acredito que vamos ao Jamor e porque não trazer a taça?

É especial ver o Chaves forte na Liga após tantos anos no clube?
Foi um sonho que se tornou realidade! É especial pois foram muitos anos de trabalho e dedicação…

É o único que acompanhou a equipa desde a 2ª B até à Liga, como foi vendo a evolução?
Quando olho para trás… onde andávamos na “Liga das aldeias” com cinco meses de ordenados em atraso, segurando um barco prestes a afundar… Foram momentos muito difíceis e tristes pois o clube estava perto do fim. Foi então que apareceu a família Carvalho, em especial o SR. Francisco que não deixou afundar o barco… dedicou-se ao clube como ninguém e tornou esse sonho possível. É com muito orgulho que vejo de onde viemos e onde estamos agora.

Até onde pode ir o Chaves?
Penso que para quem sonha não há limites… e espero que já na próxima época o Chaves vá á Liga Europa.

Com 32 anos já pensa no final da carreira ou em jogar muitos anos?
Ainda não penso no fim da carreira, sinto-me muito bem fisicamente e enquanto me sentir capaz de ajudar o clube e os meus colegas, vou continuar.

Que perspetivas e objetivos tem para o futuro a nível pessoal?
Quanto ao futuro, a Deus pertence… desde que tenha a minha família comigo sei que vou ser um homem feliz…

Diogo Caldas

loading...
Share.

Deixe Comentário