Durante os meses de verão a GNR intensificou as ações de patrulhamento em todo o território nacional. Nesse período foram fiscalizados cerca de 435 mil condutores, dos quais 7847 foram por excesso de álcool, e destes 2923 apresentavam uma taxa igual ou superior a 1,2 g/l.

Ao nível da criminalidade, os militares detiveram 698 pessoas por tráfico de droga, 254 por furto, 208 por posse ilegal de arma e 49 por roubo. Foram ainda apreendidas pela força de segurança 96 164 doses de droga, sendo 90 444 de haxixe, 4 350 de cocaína e 1370 de heroína, e 509 armas de fogo e 205 armas brancas.
A operação da Guarda Nacional Republicana (GNR) incidiu também na fiscalização rodoviária em todo o país, tendo sido detetadas cerca de 166 577 mil contraordenações, das quais 48 456 foram por excesso de velocidade, 8122 por falta de inspeção, 7445 relacionadas com anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização, 5472 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança ou da cadeirinha de criança, 4924 por condução com excesso de álcool, 5314 pela utilização indevida do telemóvel durante a condução e 1320 por falta de habilitação legal para conduzir.
A operação “Verão Seguro” decorreu entre 15 de junho e 30 de setembro e teve como objetivo “garantir a segurança e o bem-estar da população portuguesa e dos milhares de turistas e de emigrantes que visitaram Portugal” e ainda, explica a GNR, em comunicado, “prevenir e combater a criminalidade, através do empenho das diferentes valências da GNR”.
“Para promover e facilitar o policiamento de proximidade com os turistas e numa conjuntura de cooperação internacional, a Guarda efetuou ações de patrulhamento conjuntas com militares da Guardia Civil do Reino de Espanha, da Gendamarie Nationale francesa e dos Carabinieri de Itália, especialmente, nas zonas balneares mais turísticas dos distritos do Algarve, Porto, Lisboa e Setúbal”, acrescenta.
As ações de patrulhamento aconteceram, com maior ênfase, em praias, festas, romarias e eventos de grande dimensão, bem como nos principais eixos rodoviários, nomeadamente nas fronteiras.
No âmbito do Programa Chave Direta, cujo objetivo é garantir a segurança das habitações habituais dos cidadãos que se encontram de férias, a GNR efetuou a segurança a 2004 residências sem que se tenham registado quaisquer incidentes.

 

loading...
Share.

Deixe Comentário