O resultado de uma igualdade a um golo traduz bem a ineficácia dos Vidaguenses que,juntamente com a má exibição de Arnaldo Araújo, permitiram que os visitantes saíssem da Vila Termal com um ponto na bagagem.

O Vidago desde cedo tomou conta do jogo e logo nos minutos iniciais carregou sobre a baliza adversária. Ruizinho dispôs de uma excelente oportunidade, quando aos 17’, desperdiça a primeira grande oportunidade ao rematar a base do poste da baliza de Marco. Por sua vez, o Murça montava o seu dispositivo defensivo para impedir que a sua baliza fosse violada.
Pouco depois, surge o primeiro caso do jogo: Adegas, com uma violenta entrada sobre Guillaume, deveria ter sido molestado com a cartolina vermelha, mas, e para espanto geral, o árbitro apenas mostra cartão amarelo.
Por outro lado, o central do Vidago, Hélio, numa jogada onde nem falta existiu, vê o primeiro amarelo. Este jogador viria, depois, a ser expulso do terreno de jogo com a amostragem do segundo cartão no lance que originou o golo dos visitantes.
Quanto ao jogo, chegava-se ao intervalo, com o empate sem golod, injusto para a equipa da casa, que teve um maior domínio na partida e com algumas boas oprtunidades para marcar.
Para a segunda parte houve mais do mesmo, ou seja: um Vidago a pressionar lá na frente, um Murça a defender lá atrás, e uma equipa de arbitragem completamente fora de jogo, com muitos cartões e muitas faltas, permitindo muitas entradas à margem da lei, e esquecendo-se por completo que no João de Oliveira há muitos anos existe assistência que é prestada pelos Bombeiros locais mas, o Sr. Arnaldo Araújo, nas dezenas de interrupções que existiram, nunca solicitou a entrada da maca. Ao assistirem a tudo isto os jogadores visitantes usaram e abusaram das simulações e do anti-jogo.
Os Albi-Negros beneficiaram de variadíssimas oportunidades para poderem chegar ao fim dos noventa minutos com uma goleada, mas os seus dianteiros em tarde pouco inspirada e muito perdulários não conseguiam desfeitear o guardião visitante.
A forte pressão do Vidago que acabaria por dar frutos. À passagem do minuto sessenta e nove numa excelente combinação entre Diop e Guillaume permite que este consiga derrubara a muralha defensiva dos visitantes e inaugure o marcador.
Aos oitenta e dois minutos, surge o empate 1-1, num lance estranho e com uma falta duvidosa dentro da área de rigor dos Albi-Negros, Arnaldo Araújo (já se esperava) de imediato aponta para a marca de grande penalidade. Fontoura não desperdiçou e coloca um desfecho final na partida.
A esta altura, e com muitos protestos na bancada, a equipa da casa continuava a dominar e podia ter ampliado a vantagem, mas mais uma vez a ineficácia dos seus atacantes contribuiu decisivamente para que esta partida terminasse com uma igualdade.
No final o desalento e a tristeza pairava no rosto dos homens de Vidago que com este empate perdiam os primeiros pontos do campeonato. Já para o Murça, com o futebol altamente defensivo e agressivo foi um ponto importante conquistado num campo difícil.
Sobre a equipa de arbitragem apenas a acrescentar. Acabaram por ter uma tarde bastante infeliz, só lhe podemos desejar melhor sorte para os próximos jogos.
Augusto Oliveira
loading...
Share.

Comentarios fechados.