Em Atei, uma agressão a um árbitro assistente levou à interrupção do encontro entre o clube local e Vidago em futebol seniores. Em Murça, o jogo de futsal feminino com o GD Valpaços também não chegou ao fim depois de uma jogadora valpacense ter sido agredida após uma invasão de campo.

O Atei-Vidago da 12ª jornada da Divisão de Honra da Associação de Futebol de Vila Real não terminou depois de uma agressão por parte de um elemento no banco de suplentes do Atei sobre um do árbitro assistente da partida.

A equipa da casa estava a vencer por 2-1 quando a agressão se sucedeu, o que levou a que o encontro não chegasse ao final, por decisão da equipa de arbitragem, por falta de condições de segurança.

A AF Vila Real reagiu em comunicado, juntamento com o conselho de arbitragem da mesma instituição, repudiando “veemente os atos de violência que não dignificam o futebol, os clubes, nem uma larga maioria dos agentes desportivos, dirigentes, atletas, técnicos que muito têm feito pela boa imagem do futebol e futsal do distrito de Vila Real”.

“A Direção e o Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Vila Real manifestam, ainda, total solidariedade com o árbitro em questão, considerando este episódio lamentável e um ato isolado. Os órgãos responsáveis por analisar o ocorrido irão pronunciar-se, a seu devido tempo, de acordo com os regulamentos disciplinares”, destacou ainda.

Também o Vidago FC reagiu em comunicado à situação vivida em Atei, repudiando “os atos de violência, aos quais é alheio”.

“O Vidago Futebol Clube condena quaisquer tipos de atos de violência, demarcando-se veemente dos mesmos, como sempre o fez ao longo da sua história, manifestando, ainda, total solidariedade para com o árbitro agredido por um elemento, entretanto identificado, da equipa do Atei FC. O sucedido não dignifica em nada o desporto, nem tão pouco a essência da modalidade do Futebol, sendo plena convicção do Vidago Futebol Clube que nada mais representa do que um acto, embora infeliz, meramente isolado, no qual, certamente, nenhum clube, seus dirigentes, técnicos ou atletas da Associação de Futebol de Vila Real se revêem”, pode ler-se no comunicado.

Murça-GD Valpaços em futsal feminino não chegou ao fim

No mesmo fim-de-semana, os atos de violência também atingiram o futsal feminino, no encontro da 8ª jornada entre o Murça e o GD Valpaços.

Segundo foi apurado, quando a equipa da casa vencia por 2-0, um desentendimento entre uma jogadoras de cada equipa, levou à invasão de campo por parte de adeptos que se encontravam na bancada e que agrediram a jogadora do Valpaços. O encontro já não voltaria a ser retomado.

loading...
Share.

Deixe Comentário