O município de Boticas assinalou esta segunda-feira, dia 18 de maio, o Dia Internacional dos Museus dando a conhecer, na sua página oficial, o Ecomuseu – Museu Rural de Boticas.

“A situação que temos vindo a viver implicou a alteração das nossas atividades e o encerramento ao público dos nossos espaços museológicos. Apesar disso, não poderíamos deixar de assinalar o Dia Internacional dos Museus e deixar aqui uma breve nota sobre o Museu Rural de Boticas e o espaço museológico onde este se integra, dando assim a conhecer um espaço que merece uma futura visita, logo que seja possível”, refere a autarquia.

O Ecomuseu de Barroso é um projeto de território que tem como objetivo o seu desenvolvimento através da valorização dos elementos que lhe são particulares e estruturantes. É constituído por vários pólos dispersos territorialmente pelos concelhos de Boticas e de Montalegre, e cada um deles procura exibir e cativar o visitante de uma forma diferente dos demais. Proporciona-se deste modo uma perceção da identidade singular de cada lugar e das várias formas que os habitantes do Barroso tiveram e têm de interagir com o seu ambiente territorial e cultural.

O Museu Rural de Boticas é um dos pólos constituintes deste projeto comum do Barroso. Este núcleo museológico está instalado num edifício de arquitetura tradicional na sede do concelho de Boticas. O imóvel, que era uma habitação de família, faz parte de um conjunto arquitetónico inserido numa propriedade rural. Possui, portanto, outras construções anexas, que serviam de apoio à casa “mãe” e aos trabalhos agrícolas. Este espaço é constituído por uma casa senhorial (com rés do chão e primeiro andar), instalações agrícolas de apoio, uma eira ladeada por um canastro e uma área de terreno com cerca de 8 000 m2.

Nele se ilustram as interações do ser humano com o território que na atualidade constitui o concelho de Boticas, e as vivências espirituais que foram marcando e orientando os ocupantes do território. O conceito que serve de base à exposição é precisamente a estreita relação entre a experiência física e a espiritual dos sucessivos habitantes do concelho, que lhes confere identidade e singularidade e foi configurando o território até atingir a estrutura que tem no tempo presente.

O Museu Rural de Boticas é constituído por um primeiro piso, um piso intermédio e um térreo, no que corresponde à antiga habitação de lavrador, separado por um pátio onde existe uma adega com lagar. Funciona como montra da ruralidade barrosã, abordando temas como o enquadramento territorial, a sua história, a casa tradicional barrosã, a temática da água, as festividades, locais (S. Sebastião, Senhora da Livração e São Salvador do Mundo, entre outras), a agricultura barrosã com destaque para os bovinos da raça barrosã, e o porco, a par do vinho e do pão, alimento central na gastronomia barrosã.

No espaço, que tinha as funções de adega e de lagar na casa agrícola onde este museu se encontra instalado, existe ainda um lagar elevado, desde onde se enchiam os tonéis aproveitando a gravidade. Objetos e painéis alusivos aos produtos que o concelho de Boticas produz, desde o mel e a batata ao centeio e ao “vinho dos mortos”, ilustram este local, pois era aqui onde se armazenavam os víveres da casa rural.

Ao entrar no Museu Rural de Boticas, o visitante tem a oportunidade para contactar a realidade virtual que lhe permite decidir os locais e os territórios a visitar dentro do espaço do Ecomuseu de Barroso, onde pode apreciar os produtos locais, a gastronomia, contactar com a comunidade e inteirar-se da qualidade de vida dos cidadãos.

Neste complexo museológico situa-se ainda o CEDIEC, com o qual estão articulados os conteúdos do Museu Rural de Boticas, constituindo assim um núcleo com espaços museológicos importantes para a preservação de memórias.

loading...
Share.

Deixe Comentário