Nas próximas três jornadas, na 9ª ronda e na 11ª jornada, dia 4 de Dezembro, os “valentes transmontanos” têm duas visitas à ilha da Madeira. Domingo, o adversário é o Marítimo B e os flavienses procuram a primeira vitória fora de portas da época.

A procura da primeira vitória fora de portas não preocupa o treinador dos flavienses. “Os jogos são todos importantes, quer seja em casa, quer fora. Esse conceito de ser mais importante conseguir pontos fora ou em casa já está em desuso. As equipas tanto podem ganhar campeonatos em casa como fora”, considera o treinador do GD Chaves.

Para Filipe Casanova o adversário “é extremamente forte, principalmente do meio campo para a frente”. “Temos de saber controlar esses pontos da equipa adversária”, avisa.

Com seis mexidas no onze no passado domingo, na vitória por 3-1 frente ao Merelinense, o técnico dos “valentes transmontanos” manifestou-se satisfeito com o desempenho dos jogadores, que “correspondeu ao previamente definido na estratégia para o jogo”.

“Entraram seis atletas, na próxima partida pode ser que aconteçam mais alterações. O desempenho tem de ser o mesmo. Os jogadores conhecem-se, conhecem as metodologias de treino e de jogo e para qualquer alteração o grupo está preparado”, assegurou Casanova.

Na máxima força

Ainda não tinha acontecido esta temporada, mas na semana anterior Filipe Casanova teve todo o grupo disponível para jogar. O extremo Tijane, operado na pré-temporada, estreou-se mesmo no jogo frente ao Merelinense. Josué, defesa central, operado após o jogo com o Mirandela, realizou 90 minutos, assim como o lateral direito Sagna.

Esta semana, o único cuidado especial foi para o avançado Mauro, que recebeu uma entrada forte nos instantes finais da partida, necessitando de assistência hospitalar, mas a partir de quarta-feira treinou sem limitações e é opção. O goleador Chico, por castigo, fica de fora das contas para a visita à Madeira.

Diogo Caldas

 

loading...
Share.

Deixe Comentário