A segunda edição da No Limits Challenge, organizada pela No Limits Crossbox Gondomar, teve lugar no passado dia 31 de agosto na escola secundária desta cidade do distrito do Porto.

Esta prova, baseada na metodologia de cross trainnig, foi realizada em duplas masculinas e femininas em duas categorias: scaled (exercícios com cargas mais leves) e RX (pesos e movimentos normais da modalidade). Todas as duplas tiveram de fazer os quatro wods (conjunto de exercícios), não havendo eliminação.
De acordo com informação disponibilizada na página do facebook do evento, “a prova teve como base e objetivo o convívio, o respeito e os valores da comunidade: superação, entreajuda e apoio mútuo por parte de todas as equipas e staff”.
De Chaves partiram para esta prova sete atletas. André Eiriz da Crossbox Chaves formou dupla com Dani Venceslau (da Box Training – Dani R, de Macedo de Cavaleiros) e conseguiram alcançar o terceiro lugar na categoria scaled masculino. Também nesta categoria participaram as duplas formadas por José Manuel Calvão e Gonçalo Silva (11º lugar), e Pedro Ferreira e Diogo Chaves (26º), todos eles atletas da Crossbox Chaves. Também a representar a mesma box estiveram Silvi Canto e Rosa Cabeleira, que participaram na categoria scaled feminino e obtiveram o sétimo lugar.
André Eiriz, para além de atleta, é também o responsável pela Crossbox Chaves e demonstrou-se satisfeito com a prestação dos atletas que o acompanharam nesta prova: “Fiquei bastante contente. Surpreenderam-me pela positiva. Um ou outro já tinha participado em algumas competições, principalmente as meninas. Fiquei contente com a prestação delas, ficaram sem sétimo lugar de entre 20 duplas. Nos masculinos tínhamos muitos estreantes e fiquei surpreendido até com o à vontade deles na própria competição porque não é fácil. Por vezes numa primeira competição é normal ficar-se mais nervoso, cometer-se mais erros, mas não. Estiveram bem, parecia que já estavam habituados àquilo. Ninguém se magoou, toda a gente se divertiu, e o resultado final foi muito positivo”.
O flaviense quis ainda deixar uma palavra de agradecimento aos atletas que não participaram mas que se deslocaram até Gondomar para apoiar os que estiveram em competição. “Isso deu, sem dúvida, um alento especial naquele momento em que estamos ali a fraquejar ou mais desanimados porque às vezes as coisas podem não correr tão bem. Há sempre uma voz de fora a dar aquele apoio extra que faz com que saia mais uma repetição ou que cheguemos um bocado mais rápido. Isso foi, sem dúvida, muito importante, e, por isso, obrigado também a eles”, concluiu.

Maura Teixeira

loading...
Share.

Deixe Comentário