A transportadora de passageiros Auto Viação do Tâmega vai entrar em ‘lay-off’ parcial devido à pandemia covid-19 mas mantém a ligação diária Chaves-Vila Real e o serviço expresso.

“Os rendimentos são muito baixos e dos cerca de 150 trabalhadores vão ficar a trabalhar cerca de 20, após entrarmos em ‘lay-off’ parcial”, explicou o gestor de tráfego da Auto Viação do Tâmega, Eduardo Santos.

A empresa com sede em Chaves, no distrito de Vila Real, terá o apoio da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Tâmega, que apoiará a ligação entre Chaves-Vila Real e que tem paragem em Vila Pouca de Aguiar.

“Fica assegurada a ligação da região com Vila Real e a partir daí com todo o país”, realçou o presidente da CIM Alto Tâmega, Orlando Alves, após a reunião de hoje entre os seis municípios que compõe o organismo, Chaves, Montalegre, Boticas, Vila Pouca de Aguiar, Ribeira de Pena e Valpaços.

A empresa de transportes mantém três rotas diárias entre Chaves e a capital do distrito, às 06:30, 11:15 e 18:30 e com saídas de Vila Real para o Alto Tâmega às 07:50, 11:00 e 15:25.

Já o serviço expresso desde Chaves, que faz ligação com Porto e Lisboa, acontece duas vezes por dia, às 12­:30 e 18:00.

“É uma forma de garantir sempre à população uma forma de transporte”, vincou Eduardo Santos.

Com a quebra no volume de passageiros, muitos dos clientes têm sido, nesta fase, profissionais das forças de segurança e profissionais de saúde, acrescentou.

A Auto Viação do Tâmega tem 90% da frota parada após suspender as viagens no distrito de Vila Real e Bragança, mantendo apenas a ligação Chaves-Vila Real e serviço expresso.

Devido à pandemia Covid-19, foram cortadas muitas linhas, como as ligações de Chaves a todos os concelhos do Alto Tâmega, mas também ligações entre Vila Real e Régua, também no distrito de Vila Real, ou ligações para Vinhais e Mirandela, no distrito de Bragança, referiu em 24 de março o gestor de tráfego da Auto Viação do Tâmega, Eduardo Santos.

“Cerca de 90% dos autocarros tivemos que cortar o seguro pois estão completamente parados e não estão a dar rentabilidade nenhuma”, tinha alertado.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 791 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 38 mil.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 160 mortes, mais 20 do que na véspera (+14,3%), e 7.443 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 1.035 em relação a segunda-feira (+16,1%).

Dos infetados, 627 estão internados, 188 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Diogo Caldas

loading...
Share.

Deixe Comentário