O programa das festas da cidade de Valpaços 2010 tem algumas novidades, entre elas está o reencontro entre bandas cujos elementos deixaram de se reunir em palco há vários anos. Os Anna Logyka são um desses exemplos, que regressam aos fãs valpacenses 15 anos depois.

Zyks, Peão, Tó Luís e Nica. Quatro nomes, quatro instrumentos, dezenas ou até centenas de histórias. O grupo de adolescentes foram uma, entre tantas outras, banda de garagem, que surgiu entre amigos com gostos em comum, ou como assumem “que se juntaram em torno de algo que os move: a música e a criatividade”.

À falta de oferta cultural numa vila do interior do país, nasceram os Anna Logyka no tempo em que ainda não eram acessíveis as playstations e outras tantas ofertas com que contam os adolescentes do século XXI.

O nome Anna Logyka surge porque “todos os meios que utilizávamos para o processo criativo eram instrumentos não digitais, logo Ana Lógicos. A evolução do nome para o formato final fez parte de um processo criativo entre todos”, comentou Daniel Passos, ou Nika, vocalista da banda.

Os adolescentes, quinze anos depois são homens. Na próxima sexta-feira, sobem ao palco um Professor de Educação Musical, dois enfermeiros e um consultor de TI. Na guitarra Paulo Costa (Zyks), na bateria António Peão, nas teclas António Almeida (Tó Luis) e com a responsabilidade da Voz, Daniel Passos (Nica).

Estão a ensaiar há algum tempo, de quinze em quinze dias, num estúdio alugado no Porto, pois a vida levou-os para moradas de residência destinas e “um pouco longe” de Valpaços. “No início, recebemos o convite, com algum receio, com o peso da responsabilidade de regressar ao fim de 15 anos. No entanto, rapidamente o receio deu lugar à motivação, ao entusiasmo, ao revivalismo, ao saudosismo e trouxe a cada um de nós uma lufada de vida. Bastou os primeiros cinco minutos juntos numa sala de ensaio para percebermos que de facto nunca acabámos, nunca nos deixamos e apenas estávamos separados, motivo pelo qual esta reunião nos fez sentir muito honrados e passou a ser uma meta a atingir”, comentaram.

Actuação que esperam ser também uma mensagem

A banda nunca teve um fim concreto e “com recursos e meios muito limitados, foi fazendo música”. Alinhou por uma “mistura de Pop-Rock com uma influência de sons mais pesados”. São esses sons que esperam, passados 15 anos, “reportar as memórias da nossa adolescência, seguramente esse efeito será comum em todos aqueles que nos ouviam e nos acompanhavam naquela altura. Posteriormente, passa por ser uma mensagem que tentará despertar nos jovens residentes em Valpaços, e que hoje têm os mesmos 14 e 15 anos que tínhamos nós hà 20 anos, que existem meios e caminhos que podem ser de criatividade, mesmo num local onde a oferta lúdica é algo limitada. Os Anna, na ausência de cinema, teatro e outros, decidiram entrar num processo criativo para ocupar os tempos que eram em Valpaços mais mortos que noutros pontos mais desenvolvidos do país”, referiram sobre as expectativas do grande concerto.

Os Anna Logyka separam-se por imposição da vida e estão em contagem decrescente para o reencontro em palco. Este será partilhado com outras bandas valpacenses como Papá Hugo Reloaded, Cataménio e Punks Rurais.

As redes sociais já estão em polvorosa com o aproximar do concerto, que está marcado para sexta-feira, 3 de Setembro, pelas 23:30.

Cátia Mata

loading...
Share.

Comentarios fechados.