No passado dia 4 de junho, a EDP Distribuição promoveu a II Conferência sobre a Gestão da Vegetação, evento digital transmitido em direto e que foi assistido por mais de 630 pessoas das mais diversas entidades relevantes na matéria.

 

Realizado com o intuito de proporcionar um fórum de discussão de medidas concretas, capazes de garantir a segurança das redes elétricas, das populações e dos espaços florestais, este evento contou com João Catarino, secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território.

“As medidas que foram recentemente aprovadas em reunião do Conselho de Ministros perseguem este superior desafio: construir espaços rurais bem geridos e ordenados, com a consequente redução dos riscos de incêndio e de pragas, condição maior para a atração de investimento que, consequentemente, conduzirá a uma exploração sustentável da floresta, criadora de emprego e de rendimento para os pequenos proprietários florestais e geradora de matéria-prima em maior quantidade e qualidade para a indústria, promovendo o aumento da produção nacional e das exportações. Esta visão converge na missão de proteger as pessoas e bens dos incêndios rurais e valorizar os espaços silvestres, mantendo os ecossistemas em bom estado de conservação através da identificação de orientações estratégicas e respetivos objetivos, para a qual é necessária concretizar de forma persistente um programa coeso de ações e projetos para o período 2020-2030”, referiu, acrescentando que “só um Portugal protegido de incêndios rurais graves, e capaz de remunerar conveniente e justamente o proprietário florestal, permitirá abraçar o desafio com determinação e confiança, sabendo que só a cooperação entre todos garante a conquista dos objetivos desejados.

De acordo com uma nota enviada pela EDP Distribuição à comunicação social, esta empresa, no âmbito do atual Sistema Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios, tem o dever de constituir faixas de gestão de combustível junto às linhas elétricas de alta e média tensão, em locais estratégicos previamente definidos nos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios, estando o proprietário obrigado a permitir o acesso à propriedade.

João Marques da Cruz, membro do Conselho de Administração Executivo da EDP, marcou presença nesta iniciativa e referiu que “graças à aposta que a EDP Distribuição tem realizado a nível da inovação e tecnologia, a sua atuação é cada vez mais direcionada e eficiente. O foco das nossas equipas e a nossa presença constante nas comissões distritais e municipais de defesa da floresta, onde se definem estratégias e planos de atuação, garantem uma gestão mais efetiva e próxima das comunidades locais”.

O responsável revelou ainda que este ano “serão inspecionados 26 800 quilómetros, intervencionados pontos críticos ao longo de 6 200 quilómetros de linhas elétricas e construídos mais dez mil hectares no âmbito da Rede Secundária das Faixas de Gestão de Combustível”.

“Relação entre estruturas lineares na paisagem e áreas ardidas” e “Utilização de modelos de produtividade e crescimento para otimizar a periodicidade das inspeções da dimensão das árvores sob as redes de distribuição” foram dois dos temas apresentados e debatidos, ao longo desta conferência, por investigadores, especialistas e representantes de entidades e instituições ligadas ao setor, nomeadamente o Observatório Técnico Independente (OTI), a Agência para a Gestão Integrada de Fogos Rurais (AGIF) e o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

João Torres, presidente da EDP Distribuição, deixou um alerta no encerramento da iniciativa: “A procura das melhoras práticas, com vista à segurança das redes elétricas, da floresta e das populações, deve merecer o empenho de todos, proprietários, empresas, autarquias, infraestruturas, proteção civil e academia, numa missão conjunta”.

loading...
Share.

Deixe Comentário