Iniciou no dia 17 de setembro, em Boticas, no âmbito do projeto TROCO 2, cujos parceiros da Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega são a Associação de Desenvolvimento da Região do Alto Tâmega (ADRAT), a Câmara de Comércio de Pontevedra, Vigo e Vilagarcía de Arousa (beneficiário principal), a Asetranspo e a Junta da Galiza – Conselheria de Medio Rural, a primeira sessão de capacitação e sensibilização para a otimização da gestão florestal e sumidouros de carbono, a técnicos e operadores florestais, que integra um conjunto de várias outras sessões temáticas que se estenderão aos restantes municípios do Alto Tâmega.

Enquadrada na ação relativa à criação de sumidouro de carbono, a qual a Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega (CIM-AT) em articulação com a ADRAT e o Instituto Politécnico de Bragança, iniciaram a realização de um conjunto de sessões de capacitação e sensibilização para a otimização da gestão florestal e sumidouros de carbono direcionada para técnicos e operadores florestais.
Em cada uma das sessões estão a ser apresentadas várias comunicações relacionadas com a gestão de áreas florestais, alterações climáticas, sumidouros de carbono, o Associativismo florestal e a importância da Certificação Florestal, entre outras.
No dia 17 de setembro, a sede da Cooperativa Agrícola de Boticas (CAPOLIB) recebeu a primeira sessão, onde, após a apresentação do Projeto Troco 2 pela CIM-AT, foi apresentada a Ferramenta “ex ante” para cálculo de sumidouro de carbono em espaços florestais transfronteiriço da Galiza e Norte de Portugal, desenvolvida pela Junta da Galiza (Unidade Territorial Noroeste – UT1 do Grupo Tragsa – SEPI, Espanha).
Esta ferramenta, criada para a região da Galiza e do Alto Tâmega, é ajustada à realidade e características edafoclimáticas de cada um dos concelhos.
Para efeitos de, futuramente, poder vir a ser implementada a comercialização efetiva da absorção de carbono pelos espaços florestais, a CIM-AT encontra-se em conversações com a Agência Portuguesa do Ambiente, no sentido de esta ferramenta poder vir a ser reconhecida.
A finalizar esta sessão, Bárbara Maurício, licenciada em Biologia e mestre em Engenharia do Ambiente, fez uma breve apresentação sobre os gases com efeito de estufa, nomeadamente a caracterização, origem e consequências nefastas para o ambiente, bem como soluções para a diminuição da emissão destes gases, e fez um breve enquadramento legal a nível mundial, Comunidade Europeia e Portugal sobre esta temática.
Depois da sessão em Vila Pouca de Aguiar, que se realizou no dia 19 de setembro, seguir-se-á Ribeira de Pena, dia 26 de setembro; Valpaços dia 27 de setembro; Chaves, 1,2,3 e 4 de outubro; e Montalegre dia 11 de outubro. No dia 25 de outubro, será realizada uma sessão final de encerramento do Projeto TROCO 2, onde estarão presentes, para além dos parceiros do projeto, a Agência Portuguesa do Ambiente, Associações e Entidades Florestais que desenvolvem a sua atividade no âmbito florestal e ambiental.
loading...
Share.

Deixe Comentário