Polícias e Guardas têm estado no terreno a controlar o cumprimento das medidas restritivas desde a entrada em vigor do primeiro estado de emergência.

O comandante da Polícia de Segurança Pública (PSP) de Chaves, Luís Alves, disse que o trabalho desenvolvido pela Polícia tem decorrido dentro da normalidade, com ações de controlo seletivo de trânsito e com ações de vigilância domiciliária nos casos de pessoas em isolamento obrigatório. O comissário da PSP referiu que as pessoas em isolamento obrigatório têm respeitado as indicações das entidades de saúde, não havendo, até ao momento, qualquer detenção por desobediência.

O responsável salienta que tem notado “algum grau de saturação” por parte da população, mas acredita que as pessoas “vão continuar a aguentar”, uma vez que o Governo já anunciou que as medidas restritivas irão abrandar depois de 2 de maio, caso a situação provocada pela pandemia da covid-19 no país não se agrave.

O comissário referiu também que não tem havido “praticamente criminalidade nenhuma”, com grande parte dos estabelecimentos comerciais fechados e os que se mantêm abertos a respeitaram as medidas restritivas.

Dentro da esquadra policial de Chaves não há polícias infetados pelo novo coronavírus. Dez deles foram inclusive escolhidos, tendo em conta a idade e patologias, para realizarem, na terça-feira, testes de despiste à covid-19 no “Camião da Esperança”, com resultados negativos. O “Camião da Esperança” é uma iniciativa promovida pela TVI e Rádio Comercial, em parceria com as autarquias, que esteve em Chaves no início da semana com profissionais da saúde a realizar testes à população.

“Na Polícia, a taxa de infeção é quatro vezes superior à restante população. Tirando os profissionais de saúde, os polícias são os mais infetados porque também estamos na primeira linha de combate nos grandes centros urbanos”, destacou o responsável.

Circulação automóvel tem aumentado

Os militares da Guarda Nacional Republicana (GNR) de Chaves também não têm encontrado um grande número de incumpridores, não se registando por isso qualquer detenção. O capitão Luís Pinheiro, comandante da GNR de Chaves, considera que as pessoas têm cumprido com o seu dever, mesmo no período da Páscoa. No entanto, o responsável admite que nos últimos dias tem havido um pequeno aumento da circulação automóvel, com os condutores a justificarem as suas deslocações com idas para o trabalho, compras, entidades de saúde ou até mesmo idas aos CTT.

O responsável disse ainda que a taxa de criminalidade não aumentou desde que entrou em vigor o estado de emergência, tendo apenas o registo de uma burla informática.

“As patrulhas dos postos têm-se dedicado à verificação do cumprimento das medidas do estado de emergência, nomeadamente em verificar os motivos das deslocações. O Policiamento Comunitário e os Programas Especiais na GNR têm acompanhado a situação dos idosos, com vários telefonemas para ver se está tudo bem, e até mesmo para esclarecimentos”, destacou o comandante.

O Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente (SEPNA) continua a desenvolver a ação “Floresta Segura” e os militares têm estado a patrulhar a entrada de automóveis junto à fronteira em Vila Verde da Raia, estando a decorrer dentro da normalidade.

A GNR está ainda a desenvolver, em coordenação com a delegação de saúde local, até ao fim de maio, várias ações de sensibilização junto dos proprietários de espaços comerciais, responsáveis pelos lares, entre outros, para informar sobre o encaminhamento adequado a dar às luvas e às máscaras de proteção depois de utilizadas.

No caso da GNR de Chaves, o capitão Luís Pinheiro garantiu que não há casos de militares infetados com o vírus. De referir, que foram também efetuados testes de despistagem a dez militares no camião que esteve em Chaves.

loading...
Share.

Deixe Comentário