O presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior fez um apelo a todos os portugueses emigrados que regressam às suas origens nesta altura do ano para que respeitem as recomendações da Direção-Geral de Saúde (DGS) para evitar a propagação da Covid-19.

No comunicado, Hugo Silva lembra que todos aqueles que chegam agora ao concelho para “visitar a família e amigos, ou simplesmente para desfrutar” serão recebidos de “braços abertos”, no entanto, é “necessário manter a responsabilidade que o povo flaviense tem demonstrado até aqui”.

“Muitos são ‘nossos’, saíram há muitos anos, mas voltam sempre que podem para matar a saudade daquela que será sempre a sua casa. As circunstâncias este ano são diferentes, os cuidados também, mas não será por isso que não os iremos receber de braços abertos”, refere Hugo Silva.

Para o responsável, “vivemos tempos em que é necessário trocar aquele abraço e o toque que tanto nos caracteriza, por uma palavra de conforto a uma distância segura. Em que os grandes jantares e as festas de aldeia, terão que ficar adiadas para o ano seguinte e em que as máscaras serão um novo acessório de moda”.

“Estamos no interior do país, um interior envelhecido e por isso a grande parte da nossa população faz parte de grupos vulneráveis, estou certo que ninguém os quer colocar em risco e nesse sentido apelo a que não deixemos que a saudade e a emoção de rever os que nos são mais queridos, nos retire a consciência e o dever que todos temos de seguir as recomendações das autoridades de saúde”.

O autarca da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior termina lembrando que o comércio local e a restauração, assim como os flavienses, esperam pela chegada dos visitantes.

 

loading...
Share.

Deixe Comentário