“Massinga” é o livro póstumo da professora flaviense Cristina Rosa Gomes. A obra, com as memórias da sua adolescência passada em Moçambique, foi apresentada na quinta-feira, dia 19.

Foi com sala cheia e ao som do Coro Infanto-Juvenil do Agrupamento de Escolas Dr. Júlio Martins que teve início a apresentação do livro póstumo da professora Cristina Rosa Costa Gomes, que faleceu em maio deste ano devido a uma doença oncológica.
O livro “Massinga – crónicas de uma adolescente em Moçambique” reúne, ao longo de mais de uma centena de páginas, as memórias da autora que, com apenas 15 anos, conheceu Moçambique e ficou maravilhada com as diferenças que lá encontrou.
Helena Freitas, professora na Universidade de Coimbra, no prefácio do livro revela que a vivência em África conquista a autora para sempre e é sobre esse mesmo encantamento que Massinga, na província de Inhambane, é apresentada aos leitores. Nele, Cristina Rosa relata as cores, a luz, a diversidade da vegetação e dos animais, fala sobre o mar e sobre o povo maravilhoso que encontrou naquele “continente mágico”. Na obra são também visíveis as memórias emotivas da autora com o pai e são lembrados os avós.
Este livro, afirmou a professora Cristiana Madureira, tem a grande missão “de ir ao encontro de todos e de cada um de nós, onde nem sempre as palavras ditas durante a sua vida térrea conseguiram chegar. É muito bom constatar que esta obra sobrevive ao tempo, pois a Cristina já não se encontra entre nós, mas esta obra surge como uma continuidade da sua vida. Tornando-a eterna”.
A sessão de apresentação contou com a presença do vice-presidente da autarquia, Francisco Melo, que elogiou a obra da sua “colega e amiga” e aproveitou para lembrar o seu carácter meigo e amigável, que facilmente conquistava “amizades em todos os locais por onde passava”.
“A Cristina deixará uma saudade indelével em todos nós”, sublinhou o responsável, agradecendo pela “obra de arte” deixada para “o futuro das gentes de Chaves”.
Gastão Bianchi, amigo de Cristina Rosa, foi o responsável por enumerar as diversas conquistas profissionais da autora ao longo da sua vida e de partilhar com o público alguns dos momentos passados juntos. Para o professor “Cristina Rosa era uma verdadeira bebedora de horizontes”.
Por fim, coube ao filho André, agradecer, em nome da família, “a amizade, o empenho e a dedicação” de todos os amigos na organização desta homenagem à sua mãe, um momento verdadeiramente emotivo. Na plateia estiveram também presentes o marido da autora e a filha Catarina.
A cerimónia de homenagem foi ainda recheada de momentos de poesia, interpretados pelo grupo Pontas Soltas, e do qual a autora fazia parte, vídeos, foram ainda lidos alguns excertos da obra apresentada e partilhadas várias palavras de carinho e apreço.
O encontro terminou com um momento musical da autoria da Banda da Casa de Cultura Popular de Outeiro Seco.

Cátia Portela

loading...
Share.

Deixe Comentário