A “Feira das Varandas” e o “Mercado da Madalena – Saberes e Sabores Artesanais” voltaram a realizar-se, para satisfação dos produtores.

Depois de cerca de quatro meses sem se realizarem devido à crise pandémica da Covid-19, a Associação AmoChaves pôde voltar a realizar as duas feiras que ao sábado levam ainda mais pessoas ao centro histórico da cidade flaviense.

No dia 4 de julho, a freguesia de Santa Maria Maior voltou a receber a Feira das Varandas, realizada no Largo do Arrabalde, e no passado dia 11 de julho foi a vez de a outra margem do rio Tâmega ver realizar-se o “Mercado da Madalena – Saberes e Sabores Artesanais”, no Largo do São Roque.

“Os produtores estavam cheios de vontade de retomar estas feiras. Estivemos desde o dia 2 de junho à espera de um despacho da delegação de saúde. O município foi muito rápido até a aprovar, mas carecíamos de um despacho desta entidade, a quem enviámos um documento muito simples, com um plano de contingência muito simples. A resposta demorou até à semana passada e seguimos as indicações deles. Os produtores estavam mesmo cheios de vontade. Ainda nesta edição do ‘Mercado da Madalena’ mesmo ao nível das velharias tivemos uma participação maior do que a habitual”, explicou Nuno Veras, responsável pela AmoChaves, em declarações ao jornal A Voz de Chaves, na segunda-feira, dia 13 de julho.

A adesão de feirantes ainda não é a esperada, mas Nuno Veras acredita que terá de ser “aos poucos. É preciso criar hábitos e rotinas, outra vez. As coisas ainda estão um bocadinho calmas, abaixo do que é o normal. Mas estou em crer que mais uma ou duas edições em cada um dos lados e as pessoas já se voltam a habituar e a formatar para as feiras”.

Até janeiro último, a organização do “Mercado da Madalena” estava a cabo da Junta de Freguesia da Madalena e Samaiões, no entanto, e uma vez que muitos dos feirantes que participavam numa das feiras, participavam na outra também, e em certas alturas festivas, como o Natal, ou durante o verão, estas feiras chegavam a ocorrer em simultâneo, obrigando quase os produtores a escolher entre uma e outra, dividindo também os visitantes, a AmoChaves, que já era a responsável pela “Feira das Varandas”, passou a ter a gestão de ambos os eventos e assegurou a não realização das duas atividades em simultâneo.

Assim, todos os sábados de cada mês o centro histórico de Chaves tem uma feira, sendo que numa semana se realiza uma, e na semana a seguir se realiza a outra, funcionando de maneira alternada.

A Associação AmoChaves, para além destas feiras, tem vindo a realizar tertúlias e é também a responsável pela realização das festas populares de Santo António, que dá nome a uma das principais ruas do centro histórico da cidade de Chaves, com o intuito de atrair pessoas, sejam locais ou turistas, para esta zona da cidade, valorizando, assim, não só os produtores, mas também o comércio local.

Maura Teixeira

loading...
Share.

Deixe Comentário