Com apenas 16 anos, André Liberal já é sénior do Desportivo de Chaves, depois da titularidade pela equipa satélite diante o Maria da Fonte, que rendeu mesmo um golo ao avançado, aos 20 minutos.

Para o jovem natural do concelho de Chaves, esta foi “uma estreia muito difícil”, mas ao mesmo tempo um dos melhores momentos da sua vida.

“Já estava a pensar marcar este golo. Felizmente estou nesta posição e neste momento”, atirou após a partida o jovem formado no GD Boticas, GD Chaves e que na época passada representou o Boavista.
O nervosismo esteve presente, mas para Liberal, “a pressão é sempre boa” e algo com que consegue conviver.

A época, de resto, tem sido a melhor da sua vida. Tudo começou no nacional de juvenis, onde somou 12 golos em 17 jogos, ajudando a equipa orientada por Calina a atingir pela primeira vez na história do clube a segunda fase e manutenção direita.

Depois, Liberal reforçou os juniores, às ordens de Bruno Alves, onde tem também evoluído e onde soma 8 golos em 12 partidas.

A capacidade de finalização no escalão acima despertou a atenção do treinador da equipa satélite, Carlos Guerra, que teve agora a oportunidade de o lançar, e logo com um golo.

“Desde que chegou aos juniores pensei em jogar na equipa satélite. O mister Guerra já me vinha a observar, comecei a treinar e agora tive a oportunidade”, confessa.
Tudo isto um sonho que não quer que fique por aqui: Quero continuar a evoluir no Chaves por mais uns anos, espero crescer e ser aposta”.

Chegar à equipa principal e uma chamada à seleção sub-17 são agora os sonhos do avançado finalizador, que quer continuar a somar golos para concretizar esses objetivos.

“Preparamo-los para a pressão”

Habituado a apostar na juventude, Carlos Guerra explica que os jovens jogadores que estão a ser lançados, como o caso do central Pedro, ainda júnior, ou do Liberal, juvenil, são preparados para lidar com a pressão.

“Eles estão habituados à pressão. Fazem o que gostam e não há razões para não corresponderem. Temos de saber líder com a pressão e costumo dizer que não sei jogar sem ela”, realçou.

Com a equipa de juniores bem encaminhada para garantir a permanência, Carlos Guerra quer continuar a apostar na juventude nos escalões abaixo, e continuar a promover a juventude existente no seu plantel.

“O clube está muito atento e direcionado para o que é a formação”, garante, desejando ver mais atletas atingirem a equipa principal.

Diogo Caldas

loading...
Share.

Deixe Comentário