A XIII Festa da Solidariedade, iniciativa que a Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade promove desde 2007 em parceria com as Uniões Distritais, passou pelos municípios de Boticas e Valpaços.

Em Valpaços, a “Chama da solidariedade” foi recebida por instituições do concelho e foi entregue, na sexta-feira, dia 10, ao presidente da autarquia, Amílcar Almeida, nos Paços do Concelho, revelou o município.

Durante a manhã várias instituições foram chegando ao Jardim Público, desde crianças do pré-escolar até aos idosos de instituições particulares de solidariedade social, bem como do Projecto Afectos, passando por vários escalões de ensino, para assistirem ao momento.

Amílcar Almeida destacou, na ocasião, o papel das instituições no apoio às pessoas mais vulneráveis e a importância da iniciativa na “sensibilização para a solidariedade e para o trabalho realizado no apoio às pessoas em situação de vulnerabilidade”.

A “Chama da Solidariedade”, que viajou desde Setúbal, teve como impulsionador local a Casa do Povo de Vilarandelo, com o apoio da autarquia, e tem como objetivos “acarinhar e propagar os valores que unem as diferentes instituições e dar a conhecer à sociedade o trabalho desenvolvido no sentido de promover a importância do espírito de partilha”.

Em Boticas, a passagem do testemunho aconteceu na segunda-feira, dia 13 de maio, com o presidente da UDIPSS de Vila Real – União Distrital das Instituições de Solidariedade Social, Manuel Borges Machado, a entregar a tocha, vinda de Valpaços, ao comandante dos Bombeiros Voluntários de Boticas, Carlos Gomes, e ao representante do Agrupamento de Escuteiros de Boticas, Arnaldo Machado.

Após a passagem de testemunho, a chama percorreu várias artérias da vila, sob o olhar atento das crianças dos Jardins de Infância de Beça e Boticas, do infantário da Santa Casa da Misericórdia de Boticas e pelos utentes do Lar Nossa Senhora da Livração, refere a Câmara de Boticas na sua página.

O trajeto da “Chama da Solidariedade” passou ainda pela Praça do Município e pelo Átrio da Câmara Municipal, local onde o presidente da autarquia, Fernando Queiroga, endereçou palavras de apreço às instituições de solidariedade social destacando “o papel fundamental que estas organizações têm junto das populações mais vulneráveis”.

O autarca referiu ainda que “uma sociedade mais justa e com menos desigualdades depende de todos e este tipo de iniciativas servem para alertar e sensibilizar as entidades públicas e o Governo para os problemas que existem na nossa sociedade”.

A “Chama da Solidariedade” seguiu viagem, na quarta-feira, até ao concelho de Mesão Frio.

 

 

 

loading...
Share.

Deixe Comentário