A Comissão Municipal de Proteção Civil de Boticas reuniu na segunda-feira, dia 11 de fevereiro, tendo como principal ponto da ordem de trabalhos a aprovação do Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil, que define o modo de atuação de vários organismos, serviços e estruturas a empenhar em operações da Proteção Civil a nível municipal.

“Prever os cenários suscetíveis e espectáveis de desencadear um acidente grave ou catástrofe, definindo a estrutura organizacional e os procedimentos a seguir para uma melhor resposta à emergência”, são os objetivos deste plano de âmbito geral e revisto para “enfrentar a generalidade das situações de emergência que se admitem para o território do município de Boticas”.

De acordo com a autarquia, o risco de incêndio florestal e os acidentes rodoviários são os mais comuns no município.

O Plano Municipal de Emergência e Proteção Civil de Boticas, colocado em consulta pública, foi revisto de acordo com as diretivas emanadas pela Comissão Nacional de Proteção Civil (Resolução nº 30/2015, de 7 de Maio) e seguiu o disposto no artigo 50º da Lei 27/2006, de 3 de julho (Lei de Bases da Proteção Civil), na redação dada pela Lei Orgânica 1/2011, de 30 de novembro e pela Lei n.º 80/2015, de 3 de agosto, que republica o diploma.

 

 

loading...
Share.

Deixe Comentário