Sendo a formação uma pedra basilar na catividade dos bombeiros, no passado dia 13 de Março de 2011, 10 elementos dos Bombeiros Voluntários de Vidago receberam formação complementar em técnicas de desencarceramento.

Mais dez elementos dos Bombeiros Voluntários de Vidago concluíram no passado fim-de-semana uma Acão de formação nos domínios do salvamento e desencarceramento.

O curso, ministrado pela Escola Nacional de Bombeiros (ENB), assegurou a formação teórica e prática a mais este grupo de operacionais no âmbito do salvamento, resgate e desencarceramento de vítimas de acidentes rodoviários. Os Bombeiros de Vidago, já, têm uma larga experiência e formação nesse domínio, que têm sido demonstradas na abordagem aos vários acidentes que ocorrem na sua área de intervenção, nomeadamente no A24 e na EN2.

Um grave acidente envolvendo três viaturas ligeiras, que resultaram seis vítimas, foi o cenário que os 10 bombeiros de Vidago encontraram na manhã do dia 13 de Março. Apesar do aparato, este acidente não passou de um exercício final de treino para os bombeiros, que concluíram, neste dia, o curso de formação de salvamento e desencarceramento.

Como a formação e treino são ferramentas vitais para a preparação dos bombeiros em situações reais, no último domingo, dia 13 de Março, 10 homens , estiveram envolvidos num treino que simulou um grave acidente rodoviário, que envolveu três viaturas, ligeiras.

Este cenário que, numa situação real, seria considerado grave, e obrigava necessariamente a utilização de mais meios de desencarceramento pois os veículos encontravam-se num buraco da berma vítimas encarceradas

As vítimas embora conscientes apresentavam quadros de politraumatismos, sendo que uma, apresentava traumatismo vertebro-medular, enquanto a segunda tinha um quadro de traumatismo dos membros inferiores.

Numa outra viatura encontrava-se mais uma vítima com fratures nos membros inferiores. Como referimos, neste exercício estiveram envolvidos 10 bombeiros, tendo sido utilizados três veículos: um de salvamento e apoio tácito (VSAT) uma ambulâncias de socorro (ABSC), e um veículo de Comando (VCOT)

Exercícios permitem preparar para situações reais

Como nos explicou José Augusto (Sub-Chefe dos Bombeiros da Cruz Branca de Vila Real e responsável por este curso de salvamento e desencarceramento, formador da Escola Nacional de Bombeiros, ao chegar ao local do exercício e, perante o cenário montado, os bombeiros envolvidos começaram por fazer a “avaliação e reconhecimento de todos os perigos presentes”, atendendo às condições de segurança e procedendo à estabilização de todos os veículos, dando prioridade ao veículo onde se encontravam os feridos mais graves, criando espaço para aceder às vítimas encarceradas.

Após a criação de condições e espaço, as vítimas foram retirados, tendo sido estabilizadas e imobilizadas e recebido os cuidados de saúde primários. Este curso teve a duração de 50 horas, tendo culminado com este exercício, inserido no âmbito da formação permanente dos bombeiros.

O Subchefe José Augusto salientou ainda a importância destes exercícios recriarem “cenários o mais reais possíveis”, uma vez que os bombeiros que neles participam “ganham experiência” e têm assim “perceção dos riscos” que podem encontrar em situações reais. O Subchefe sublinha ainda a importância de encarar o “treino e curso com seriedade e profissionalismo”, pelos quais o seu trabalho se deve “pautar”.

loading...
Share.

1 comentário

Deixe Comentário