O vice-presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) admitiu ter recebido com “surpresa” e lamentou a decisão do Governo de deixar de isentar totalmente os bombeiros da taxa moderadora no Serviço Nacional de Saúde, que irá abranger todo quase 30 mil bombeiros. Na semana passada, o ministro da Saúde, Paulo Macedo, anunciou que os dadores benévolos de sangue e bombeiros, actualmente dispensados de pagar qualquer taxa moderadora, passarão a estar isentos apenas “na prestação de cuidados de saúde primários”.

O vice-presidente da LBP considerou que a limitação imposta em termos de isenção das taxas moderadoras vai afectar sobretudo os bombeiros mais velhos, que “necessitam de ter mais acesso aos cuidados de saúde”, e avançou já ter pedido uma audiência com o ministro da Saúde para tratar de “vários assuntos”, incluindo o transporte de doentes. Para Rui Rama da Silva, a isenção das taxas moderadoras era uma “pequena compensação” pelo esforço e serviço que os bombeiros prestam à sociedade.

Redacção

loading...
Share.

4 comentários

  1. Carlos Pinheiro on

    Esta medida economicista, porque quer fazer receitas a todo o custo e porque vem de um economista, vai ser mais uma machadada no Voluntariado nos Bombeiros e também nos Dadores de Sangue.
    Esta medida é escandalosamente gritante porque afecta dois grupos de cidadãos, que todos os dias execercem a cidadania activa na sua forma mais bela que é ajudar os outros que mais precisam.
    Mas quem assim determina não tem sensibilidade e não deve ter coração. Devia estar a tratar dos negócios de um patrão qualquer num ramo que não tivesse nada a ver com a solidaridade nem com o humanitarismo.

    • mas como é do conhecimento de muita gente para não dizer de todos, uma grande maioria dos que fazem voluntariado não o fazem por serem “santos” mas sim com segundas intenções como esta das isenções entre outras. se eu pago porque é que os voluntários que na generalidade tem emprego ou são assalariados e ganham tanto e mais que eu não pagam….

  2. Esta medida faz-nos pensar ate onde o governo pensa chegar, porque se os dadores deixarem de dar sangue e tiverem que o comprar fora, vamos ver quanto o governo poupa. Todos sabemos que o sangue e caro e o que os dadores oferecem da para pagar todas as taxas moderadoras que necessitem.
    Ja os bombeiros que trabalham sem qualquer vencimento, que passem a exigir ao governo o mesmo que pagam aos bombeiros remunerados, porque com esse dinheiro também da para pagar todas as taxas moderadoras. Não a necessidade de andar a mendigar, quem tem a capacidade de alterar os estatutos que tenha a coragem de assumir os erros, porque isto e um erro em questão de gestão orçamental.

  3. Mais uma facada no voluntariado Português, após ida ao hospital para consulta de especialidade vi-me obrigado a pagar a taxa moderadora ao qual ate final do ano passado era-mos isentos. Todos interpretam que é uma regalia tirada aos voluntários mas não deveria ser um direito que nos assiste, ou então reparem para alem de andamos gratuitamente se formos para um incêndio e se nos magoarmos temos seguro mas no entanto se fizermos uma emergência pré hospitalar e contrair-mos uma doença virica ou até mesmo se por um descuido entrarmos em contacto com sangue de uma vitima, teremos que recorrer ás respectivas urgências para respectivos testes e claro suportar os custos. Isto sem falar que a custo zero podemos sempre por em risco a nossa família com alguma doença contraída também gratuitamente ou dentro de uma ambulância ou dentro de um hospital. Pergunto-me se o Sr primeiro ministro ou algum deputado ou respectivo filho se alguma vez fez voluntariado seja ele de que tipo for (de certo que não); ou melho claro que fizeram voluntariado numa mesa bem caprichada de manjares em inaugurações, congressos entre outros ou até mesmo para acumularem reformas vitalícias churadas para o resto das suas vidas… Defendam o voluntariado, não vos deixeis humilhar, dignifiquem a vossa camisola e aquilo que acreditam que é ajudar o próximo, mas não ponham em risco a vossa saúde nem a da vossa família. Não se esqueçam que a seguir a uma noite de voluntário vem um dia de trabalho e só Deus sabe muitas vezes de que forma vamos trabalhar, porque esse sim esse trabalho é que nos dá o pão para sobreviver. Mandem os deputados, ministros e assessores fazerem aquele voluntariado que tanto nos custa mas que de outra forma tanto nos gratifica e nos reconforta sabendo que ajudamos terceiros. Não se esqueçam que aqueles milhares que o estado poupa nas taxas moderadoras poderiam ser milhões se tivessem que assegurar inteiramente a protecção civil sem voluntariado… Insurjam-se quanto á forma que estamos e continuamos a ser tratados…

    Um abraço para todos os voluntários deste país.

Deixe Comentário