A GNR está no terreno, desde o dia 15 de janeiro, com a operação “Floresta Segura 2020” em todo o território nacional com ações de sensibilização e de fiscalização para a prevenção de incêndios florestais.

Militares do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA), da Unidade de Emergência, de Proteção e Socorro (UEPS) e dos Comandos Territoriais vai realizar até dia 6 de dezembro, e por fases, ações de planeamento, de sensibilização e de fiscalização, no que diz respeito às faixas de gestão de combustível, vai ainda patrulhar e vigiar “para prevenir comportamentos de risco, assim como detetar e combater incêndios rurais, com a finalidade de garantir a segurança das populações e do seu património e salvaguardar o tecido florestal nacional”, explicou em comunicado a GNR, que recorda que, no ano passado, foram registadas 10 904 ocorrências de incêndios rurais, o que representa uma redução de 15% face aos números de 2018 e de 54% face aos de 2017, resultando ainda em 42 492 hectares de área ardida, uma redução de 4% face a 2018 e de 93% face a 2017.
“Considerando que cerca de 35% das ocorrências tiveram origem na realização de queimas e queimadas, a GNR continuará a dar prioridade à redução do número de ignições, aconselhando-se a população à participação nas diversas ações de sensibilização sobre o uso correto do fogo, que serão promovidas por todo o país”, sublinha a força de segurança.
As ações de sensibilização são dirigidas sobretudo à população, às autarquias, aos produtores florestais, às comunidades escolares e aos agricultores com o objetivo de “alertar para a importância dos procedimentos preventivos a adotar, nomeadamente sobre o uso do fogo em queimas e queimadas, a limpeza e remoção de matos, a manutenção das faixas de gestão de combustível e a adoção de medidas de proteção dos aglomerados e de autoproteção, no âmbito dos Programas Aldeia Segura e Pessoas Seguras”.  A operação será realizada pela GNR, em coordenação com a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) e o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.
A GNR explica que, em apoio à ANEPC, no apoio aos incêndios rurais, irá empenhar forças da UEPS em ações de ataque inicial e ampliado/estendido, com meios terrestres e helitransportados e, através do SEPNA, garantirá a validação, medição das áreas ardidas e investigação das causas dos incêndios.

 

loading...
Share.

Deixe Comentário