Estão a decorrer, até ao dia 25 de janeiro, as candidaturas para a 2ª edição do “Concurso de Ideias – Empreender no Alto Tâmega”, iniciativa que pretende, através do crescimento económico do Alto Tâmega, atrair e fixar pessoas na região.

A Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega (CIMAT) lançou no passado dia 2 de janeiro a segunda edição deste concurso, que é composto por duas fases. A primeira, que decorre até ao dia 25 de janeiro, é a fase da apresentação das ideias de negócio. Após essa fase, o júri, composto, e presidido, por um representante da CIMAT e por três representantes de cada uma das entidades que participam no concurso (a ADRAT – Associação de Desenvolvimento da Região do Alto Tâmega, e as empresas Partnia, Unipessoal Lda. e Sociedade Portuguesa de Inovação SA) tem até ao dia 1 de fevereiro para deliberar uma primeira decisão, selecionando dez ideias. Na segunda fase, que será até ao dia 15 de fevereiro, decorrerá a apresentação das ideias de negócio. A escolha dos três vencedores será feita, posteriormente, até ao dia 22 do mesmo mês.

Podem candidatar-se a este concurso pessoas residentes no Alto Tâmega ou que queiram instanciar o seu negócio no território, de forma individual ou coletiva, com qualquer nível de formação académica e em qualquer situação profissional.

“Aquilo a que nos propomos, em conjunto com os promotores das ideias, é trabalhá-las com maior profundidade. Traremos uma equipa para dentro da CIM que trabalhará em conjunto com essas pessoas, durante um período de tempo, para elas de alguma forma poderem maturar as suas ideias e chegarem a um projeto que consubstancie melhor aquilo que representa a ideia inicial”, explicou, na passada segunda-feira em declarações ao jornal A Voz de Chaves, Ramiro Gonçalves, primeiro secretário executivo da CIMAT.

Ramiro Gonçalves realçou que este concurso “é um projeto de capacitação deste território. O nosso objetivo não é transferir dinheiro para as pessoas ou, de alguma forma, gerar outro tipo de situações. O nosso objetivo é permitir que pessoas que estariam numa situação de desconhecimento passem a lidar connosco e com outras entidades que têm depois portas abertas para acesso a fundos comunitários, ou outro tipo de dinâmicas”.

O primeiro secretário executivo da CIM do Alto Tâmega fez questão de referir o caráter não obrigatório ou vinculativo desta iniciativa: “O submeter uma ideia não obriga a pessoa a levá-la para frente. Mas quando a CIM se propõe lançar este tipo de iniciativas é sempre na perspetiva de, por um lado dar a oportunidade a pessoas que tenham essas ideias para poderem ser ajudadas a ter projetos de maior qualidade e, por outro lado, também conseguir ter uma base de dados de ideias e de projetos que existem no território”. Esta base de dados servirá para que, posteriormente quando houver verbas, estas ideias possam ser apoiadas e tornadas realidade.

A 1ª edição deste concurso, realizada durante o segundo semestre do ano passado, contou com 75 candidaturas dos seis concelhos que compõem o Alto Tâmega. Ramiro Gonçalves destaca que gostaria que esta edição tivesse ainda mais inscrições: “Ficávamos muito agradados se nesta edição o número de candidaturas iniciais fosse superior. Sabemos que provavelmente não é uma época também boa porque viemos de festas e as pessoas ainda estão um pouco distraídas, mas para nós era muito relevante fazer este exercício todos os anos. E o facto de o estarmos a fazer tão próximo do anterior tem a ver também com algumas oportunidades que surgirão a breve trecho no que diz respeito ao financiamento de possíveis projetos que resultem dessas mesmas ideias, fruto da reprogramação que acabou de ser aprovada pelo Governo português”.

Os interessados poderão concorrer ao 2º Concurso de Ideias através do preenchimento de uma ficha de inscrição disponível no site da CIMAT, em www.cimat.pt.

O “Concurso de Ideias – Empreender no Alto Tâmega” é uma iniciativa inserida no “Programa de atração e fixação de empreendedores no Alto Tâmega” promovido pela CIMAT em parceria com a Associação de Municípios do Alto Tâmega (AMAT), e é financiado pelo Programa Operacional Regional do Norte (2020).

Maura Teixeira

loading...
Share.

Deixe Comentário