A equipa de arqueólogos alemães fez um primeiro balanço dos trabalhos de investigação promovidos pela Câmara, Vitaguiar e pela Universidade de Hamburgo no Complexo Mineiro Romano de Tresminas e descobriu uma nova galeria no parque arqueológico.

Através da utilização de tecnologia magnética, foi descoberta uma nova galeria, situada acima da galeria do Pilar e a uma cota de cerca de 800 metros (ligeiramente inferior à da galeria Esteves Pinto). A nova galeria, que também serviria para o transporte de minério, pode ter uma extensão até aos cem metros de comprimento, atravessa o monte e vai de encontro à parte superior da corta de Covas. As galerias estão interligadas e, à imagem dos poços que se podem verificar na escarpa da corta, serviam para transporte de gente e de minério.

É ainda verosímil a extensão do povoado romano para além daquilo que já se conhece, a existência de termas e de anfiteatro estão em aberto e, segundo regula wahl, «é um trabalho incrível» o abastecimento de água às minas em que o percurso das condutas apenas descai 4 de cm em cada cem metros de comprimento.

Completar o registo do povoado em tecnologia geomagnética e construir um modelo tridimensional das cortas com as várias galerias estão entre os objectivos finais dos trabalhos previstos para o parque arqueológico de Tresminas.

Redacção

loading...
Share.

Comentarios fechados.