É já na sexta-feira, dia 25 de setembro, que se realiza a Feira das Cebolas, em Vila Pouca de Aguiar, um certame de base rural, referenciado há mais de 700 anos.

Presidente da Câmara de Vila Pouca de Aguiar, Alberto Machado

Devido à Pandemia da Covid-19, não serão realizadas um conjunto de atividades socioculturais habituais, mas manterá a sua essência: a venda de produtos agrícolas com a presença de mais de meia centena de produtores.

Marcados por tempo de pandemia, a Feira das Cebolas deste ano, ao contrário das edições passadas, não contará com um conjunto de atividades complementares que faziam parte dos dias de festa, mas irá manter a sua essência, a venda de produtos agrícolas, onde a cebola é rainha.

A Feira irá decorrer, como habitualmente, na praça Camilo Castelo Branco, junto aos Paços do Concelho, e contará com meia centena de produtores, vindos de diferentes zonas do concelho de Vila Pouca de Aguiar e da região, esperando que sejam comercializadas cerca de 30 toneladas de cebola.

Para Alberto Machado, presidente da Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar, apesar da pandemia, “é essencial manter esta tradição e a vocação de uma feira iminentemente agrícola, caraterizada pela venda de produtos da região, contribuindo, assim, para a melhoria da economia local”.

Aposta na produção agrícola

A autarquia de Vila Pouca de Aguiar, há já alguns anos, que apoia os produtores do concelho com a distribuição de pés de cebolo e, este ano, foram perto de 170 mil pés. Alberto Machado, presidente da Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar, refere que este apoio “é uma forma de incentivar a produção de cebola e, ao mesmo tempo, ter o compromisso dos produtores venderem na tradicional Feira das Cebolas”.

Sendo a Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega a segunda região do país com o menor rendimento per capita, a produção e venda da cebola, bem como outros produtos agrícolas, “tornam-se num rendimento complementar das famílias, pelo que todas as iniciativas e dinâmicas que promovam a produção agrícola, irão contribuir de forma significativa para aumentar o rendimento dos agregados familiares”.

Pandemia revela a essência da Feira

A Feira das Cebolas é, na sua essência, uma feira agrícola em que há realmente a venda de produtos, e produtos de qualidade, e há pessoas a comprar. O principal objetivo, e a essência da feira, está assim garantido: compra/venda de produtos do campo, tais como cebola, alho, tomate, pimento, malagueta, mel, compotas, cogumelos e muitos outros.

Devido ao atual estado de pandemia, “não se irão realizar um conjunto de atividades tradicionais e culturais, tais como o concurso de gado da raça maronesa, a corrida de cavalos, chegas de bois ou as chegas de carneiro, bem como um conjunto de dinâmicas recreativas, como os concertos musicais, que são um complemento e um fator de atratividade, mas não fazem parte da sua essência”, referiu Alberto Machado.

No entanto, irão ser realizadas algumas atividades, em especial da parte da manhã, dia 25 de setembro, tais como o concurso da cebola, a arruada com concertinas e o teatro de rua.

Segurança sanitária é prioritária

Se a pandemia não impede a realização da Feira, no entanto, será necessário que o certame se realize com a necessária segurança sanitária. Assim, as distâncias de segurança entre os expositores, que vão ocupar o espaço público, o controlo de entrada, o uso obrigatório de máscara serão medidas que serão implementadas na edição deste ano, de forma a não haver riscos de contágio.

Feira com mais de 700 anos

A Feira das Cebolas em Vila Pouca de Aguiar, juntamente com a Feira de Gado de Santo António, em Vila Real, e a Feira dos Santos, em Chaves, sempre foi uma referência no distrito de Vila Real.

Curiosamente, o documento mais antigo referente a esta Feira de Vila Pouca de Aguiar é uma proibição da sua realização. No ano de 1319, D. Fernando proibiu a realização desta feira, com o argumento que esta prejudicava e muito a feira de Vila Real. No entanto, passado 98 anos, em setembro de 1417 a Feira é reposta por D. João I e, desde essa data, não mais se deixou de realizar.

Este ano, apesar da pandemia provocado pela Covid-19, a Feira não se deixará de realizar, e as restrições impostas, devido à prioridade da segurança sanitária, acabam por revelar claramente a essência da Feira: um espaço de compra e venda de produtos agrícolas com destaque para a cebola de Vila Pouca de Aguiar.

 

loading...
Share.

Deixe Comentário