A primeira feira de fumeiro do Alto Tâmega do ano está mesmo aí à porta e a grande novidade deste ano foi a inclusão de mais um dia. O certame irá realizar-se de quinta-feira, dia 9 de janeiro, a domingo, dia 12, como habitualmente no Pavilhão Multiusos de Boticas.

Os visitantes poderão esperar só coisas boas. A recetividade e o acolhimento do povo botiquense, os produtos de qualidade e ainda muita animação. Além da venda dos produtos, o certame tem a particularidade da presença de algumas tasquinhas onde as pessoas podem degustar o melhor da gastronomia local.
A XXII Feira Gastronómica do Porco tem organização conjunta da Câmara Municipal de Boticas e de EHATB – Empreendimentos Hidroelétricos do Alto Tâmega e Barroso.
Fernando Queiroga, presidente da autarquia, em entrevista, salienta a qualidade dos produtos, bem como a gastronomia do concelho, como a maior atratividade do Certame.

A Voz de Chaves: A XXII edição da Feira Gastronómica do Porco de Boticas irá ter mais um dia, passando de três para quatro o que motivou esta decisão?

Fernando Queiroga: Prende-se, fundamentalmente, com o aproveitamento dos recursos, nomeadamente das Tasquinhas presentes na Feira. Os responsáveis dos restaurantes já haviam manifestado, há algum tempo, a necessidade de ter mais um dia, evitando assim uma maior concentração, no dia da abertura, bem como no fim de semana. Com esta medida, além de proporcionar uma maior rentabilidade, seguramente proporciona uma melhoria significativa no serviço, uma vez que as pessoas não terão de passar muito tempo à espera para serem servidas e, também, para criar alguma dinâmica, como é natural.

Garantir a qualidade dos produtos e que os mesmos sejam genuínos é um aspeto fundamental de qualquer certame. Como é conseguido esse objetivo na Feira Gastronómica de Boticas?

Esse é um dos pontos que nunca iremos abdicar e o mais importante de todos. Nesse sentido, fazemos o acompanhamento de todo o processo de produção. Mal termina uma Feira, começamos logo a preparar a Feira do ano seguinte, com a marcação dos animais, procedendo a uma supervisão da alimentação dos mesmos, tarefa realizada pelos nossos serviços médico-veterinários.
Outro ponto fundamental é o controlo sanitário, onde, aleatoriamente, o veterinário se desloca sem pré-aviso, acompanhando o crescimento dos próprios animais e depois isso sim, já com aviso, acertado com os produtores, o acompanhamento da elaboração do fumeiro.
Também o controlo na própria Feira. Se algum produto não estiver em condições, devido à secagem e fumagem, tal produto não será exposto. Isso é o garante para quem nos visita e para quem compra: a certeza da qualidade e do controle higiénico-sanitário, devidamente efetuado.
Falamos de encurtar a distância entre o produtor e consumidor e a Feira é a oportunidade para que não exista nenhum intermediário.

Os preços irão manter-se em relação aos anos anteriores?

Os preços estão previamente acordados e mantêm-se os valores do ano passado. Existe um acordo a nível de preços, entre Boticas e Montalegre, para que sejam iguais nas duas feiras e, dentro da própria feira, não haja discrepâncias.

Quantos produtores de Boticas estarão presentes no evento e qual o impacto económico da Feira Gastronómica no rendimento das famílias?

Estarão cerca de uma dúzia de produtores. É uma mais valia para as famílias, apesar de não quantificar, porque também não seria cordial da minha parte, mas, apesar do imenso trabalho que têm durante o ano, é uma mais valia para os produtores que vivem da agricultura e querem continuar a viver por Boticas. Continuamos a incentivar os jovens produtores a participar, mas isso não depende apenas de nós, depende também da vontade dos mesmos.

Além da venda já habitual dos produtos, as Tasquinhas são uma característica específica deste certame. É uma boa maneira de divulgar a gastronomia típica do nosso concelho?

A gastronomia é, sem dúvida, uma das maiores atrações do nosso concelho. Na verdade, esta Feira diferencia-se por não ser uma feira exclusiva para venda de produtos, mas por ser também um local onde se podem degustar os próprios produtos que estão à venda. No entanto, além da gastronomia à volta do porco, outros pratos típicos estão presentes, como a nossa truta, a vitela barrosã, o cabrito, ou seja, as inúmeras iguarias que existem no concelho.
Sendo, pois, as Tasquinhas uma forte promoção dos nossos produtos, são também uma mais valia para os restaurantes que, desta forma, podem cativar as pessoas para voltarem durante o ano.

A animação, que conta também com os grupos culturais locais, é uma constante. Na edição deste ano, o que haverá de mais relevante?

Fomos progressivamente aumentando a agenda cultura, onde estão presentes grupos culturais do concelho, mas não só, porque não temos em número suficiente. No entanto, uma das condições que colocamos para quem não é do concelho é que a música apresentada seja música tradicional e relacionada com a região.
Não posso deixar de mencionar o programa da TVI, no domingo, que há catorze anos está presente na feira e que também é um excelente cartaz promocional do concelho e, ao mesmo tempo, proporcionamos aos nossos conterrâneos, que não vivem no concelho, poderem ver o seu concelho e as suas gentes, já que não podem estar presentes.

A feira tem sempre muita adesão, acha que os seus visitantes ao presenciarem pessoalmente o bem receber tão característico dos botiquenses, juntamente com os produtos regionais, será uma forma de cativar as pessoas de modo a voltarem ao concelho, depois da Feira?

Sem sombra de dúvida que o nosso “bem receber” é uma daquelas situações que não se fazem por decreto, não se fazem por despacho. É uma competência que cabe a todos os botiquenses. As pessoas são acarinhadas e são bem recebidas e isso não se consegue quantificar.

PROGRAMA

Dia 9 – Quinta-feira

16.30h – Sessão Solene/ Abertura da Feira
18.00h – Ronda das Tasquinhas
19.00h – Animação
“Luis Pedreira” (21h às 23h)
24.00h – Encerramento

Dia 10- Sexta-feira

10.00h – Abertura da Feira
12.30h – Almoço nas Tasquinhas
14.30h – Animação para a comunidade Escolar
18.00h – Ronda das Tasquinhas
19.00h – Animação “Os Lordes” (19h às 23h)
24.00h – Encerramento

Dia 11- Sábado

10.00h – Abertura da Feira
10.20h – Bênção do Pau de Lodo
– Loas ao Fumeiro do Barroso
10.30h – Animação “Grupo Tradicional
de Ventuzelos”(10:30h às 13:30h)
12.00h – Almoço nas Tasquinhas
14.00h – Animação “Os Amigos
do Borguinha” (14:30h às 19h)
15.00h – Animação “Ás da Concertina
e Alunos” (15:00h às 16.00h)
15.10h – Chega de Bois
17.00h – Concurso de Melhor Chouriça
e Salpicão
18.30h – Entrega de Prémios do Concurso de Melhor Chouriça e Salpicão
19.00h – Animação “Os Amigos
da Sobreposta”(19h às 23h)
24.00h – Encerramento

Dia 12- Domingo

10.00h – Abertura da Feira
10.30h – Animação
“Banda da Malta” (10:30h às 13.30h)
12.30h – Almoço nas Tasquinhas
14.00h – Somos Portugal TVI
15.00h – Chega de Bois
15.30h – Alunos da Escola de Música
e Ballet Mozart
17.30h – Entrega de Diplomas de Participação
18.00h – Ronda das Tasquinhas
22.00h – Encerramento da Feira

Mariana Carvalhais

 

loading...
Share.

Deixe Comentário