“Paula Rego. O grito da Imaginação” é a exposição monográfica que será inaugurada no Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso em Chaves, no próximo dia 8 de julho, Dia da Cidade e do Município.

Esta exposição, organizada no âmbito da cooperação entre o Município de Chaves e a Fundação Serralves, tem como ponto de partida o núcleo de obras de Paula Rego na Coleção de Serralves, realizadas entre 1975 e 2004, e que são representativas de várias fases de produção da artista que definiu um novo paradigma na pintura portuguesa contemporânea, refere a autarquia flaviense em nota enviada à comunicação social.

No mesmo documento, pode ler-se que as obras de Paula Rego se caracterizam por uma obsessiva abordagem aos aspetos mais sombrios, profundos e ambíguos das relações humanas e das articulações entre o indivíduo e o coletivo, e acrescenta ainda que a pintora explora desassombradamente temas como o poder e a obediência, a dor física e psicológica, a vergonha e o orgulho, a violência, a solidão e a sociabilidade.

Tendo em conta as diretrizes da Direção-Geral da Saúde devido à crise pandémica que assola todo o mundo, o ato inaugural não será aberto ao público em geral, havendo no dia seguinte, 9 de julho, uma “maratona” de visitas gratuitas, livres ou guiadas, mediante marcação prévia. Estas visitas estarão programadas de 30 em 30 minutos, e poderão ser agendadas das 10h30 às 12h30 e das 14h30 às 18h30, com lotação máxima de dez visitantes por grupo.

Inscrições obrigatórias até ao dia 8 de julho por e-mail (mac.nadirafonso@chaves.pt)ou por telefone para 276 009 137.

A exposição é comissariada por Marta Moreira de Almeida e estará patente ao público até ao próximo dia 18 de outubro.

A Câmara Municipal de Chaves refere ainda que durante o processo de montagem desta exposição, o MACNA terá uma redução de 50% no seu tarifário, de 30 de junho a 8 de julho, estando visitável ao público a exposição “Nadir, Subjectum”.

loading...
Share.

Deixe Comentário