Faz este mês de maio 22 anos que abriu oficialmente ao público o Cine Teatro “Bento Martins” em Chaves, propriedade do Teatro Experimental Flaviense, Cooperativa Cultural.

O Teatro Experimental Flaviense fez, em janeiro de 2019, 39 anos de atividade contínua. A sua ação é composta maioritariamente por atividades teatrais, tem desenvolvido, também, iniciativas no campo da música, do ensino/formação, entre outras formas de arte relacionadas com a cultura, sendo assim, um agente cultural marcante na história da cidade de Chaves, da região do Alto Tâmega e até do país.

Desde a sua criação, o TEF tinha o sonho de obter uma sede própria para poder realizar as suas atividades com condições necessárias, de qualidade e dignas. Depois de estar instalado, entre 1980 a 1991 num salão no Forte de S. Francisco, emprestado pelo Comando do Quartel de Chaves e, de 1991 a 1997, em parte de um edifício na Rua Bispo Idácio emprestado pela Câmara Municipal de Chaves, foi em 1997 que conseguiu adquirir o local onde hoje tem as suas instalações que, depois de intervenção maioritária de trabalho voluntário dos seus integrantes de então, conseguiu inaugurar a 29 de maio.

O Teatro Experimental Flaviense, se até então muito trabalhou e obteve formação onde adquiriu competências variadas com grandes mestres, a partir da instalação em sede própria, as suas atividades foram ampliadas, em parte motivadas pelo amor à cultura que sempre teve e em parte para dar resposta a grandes necessidades que se faziam sentir na cidade, nomeadamente a exibição de cinema de qualidade, a comemoração de dias nacionais, a aposta em grandes eventos (como o Tito Flavio Vespaziano), a montagem da lenda de Maria Mantela, entre outras.

Pelo Cine Teatro Bento Martins passaram já grandes companhias, como, por exemplo, a Orquestra Chinesa de Macau, as Babel Dança de Madrid, a Banda Militar da Região Norte, a Orquestra da Região Norte e peças de teatro feitas por companhias como a Peripécia, a Filandorra, o Teatro de Carnide e o Teatro da Trindade.

A sede do TEF é também um espaço de grande relevância para os estabelecimentos de ensino da cidade e para os jovens. É aqui que muitos deles dão os primeiros passos no teatro, na dança e/ou na poesia. O TEF acolhe estagiários de várias entidades e de diferentes graus académicos, onde podem colocar em prática os conhecimentos adquiridos no seu percurso escolar, bem como adquirir competências no âmbito do saber-fazer. O TEF foi Membro do Conselho Geral do Agrupamento de Escolas Dr. Francisco Gonçalves Carneiro. Juntamente a esta componente mais letiva, dinamiza ateliers de teatro para vários públicos-alvo.

O espaço do TEF é de todos, estando aberto diariamente. Tem sido local de diversas exposições, no sentido de potenciar a criatividade e a promoção dos autores das peças expostas. Existem exposições itinerantes em várias áreas culturais e em exposição permanente encontram-se máquinas e objetos ligados ao cinema, nomeadamente a máquina de projeção do antigo cinema de Chaves.

Sendo uma realidade sentida, o isolamento e o acréscimo da população sénior, levou o TEF a implementar um projeto designado TEF Social, com o intuito de permitir o acesso ao cinema às populações mais idosas, onde tem tido interação com os Centros de Dia e Associações locais/regionais.

De salientar, quanto às condições físicas, as ótimas condições de acústica, iluminação, som e projeção com que o espaço está apetrechado, fruto do saber e da experiência adquiridos pelos elementos do Teatro Experimental Flaviense. Muito desse saber foi adquirido com grandes mestres e é hoje transmitido nos ateliers e formações, anteriormente referidas, ministradas ao longo do ano.

Neste momento o TEF possui um corpo de três colaboradores a tempo inteiro com formação superior aliado a um grupo de voluntários com os quais vai desenvolvendo a sua atividade de forma constante e permanente.
Referimos aqui algumas das datas mais marcantes do nosso trabalho, os prémios, as distinções e as ligações do Teatro Experimental Flaviense a associações e entidades:
1980 – Fundação do Teatro Experimental Flaviense
1980 – 1ª Sede no Salão do Forte de S. Francisco
1988 – Registo no RENAJ do IPJ
1991 – 2ª Sede na Rua Bispo Idácio
1991 – Constituído como CCD do INATEL
1992 – Premiado com o Prémio Podium
1993 – Premiado com o Prémio Alto Tâmega
1996 – Atribuição pelo Governo Português como Associação de Utilidade Pública
1997 – 3ª Sede no Largo do Monumento, o “Cine Teatro Bento Martins”
1999 – Premiado com o Prémio Podium
2001 – Medalha de Mérito Municipal Cidade de Chaves Grau Bronze
2005 – Prémio Especial Alto Tâmega
2017 – Reconhecimento da Fundação INATEL como Entidade Social em benefício da comunidade
2018 – Sócio Honorário Grau Ruby, da Associação Vale d’Ouro
• Centro de Cultura e Desporto da Fundação INATEL.
• Associação Juvenil equiparada inscrita no RNAJ,
Associado das seguintes entidades:
– ADRAT,
– Centro Cultural Regional de Vila Real,
– ACISAT – Associação Empresarial do Alto Tâmega,
– ANIMAR.
É com base no gosto, esforço e dedicação de todos os elementos relacionados ao TEF que a atividade contínua se tem perpetuado e pretende continuar a trabalhar em prol da cultura.

Faz este mês de maio 22 anos que abriu oficialmente ao público o Cine Teatro “Bento Martins” em Chaves, propriedade do Teatro Experimental Flaviense, Cooperativa Cultural.

loading...
Share.

Deixe Comentário