Na passada sexta-feira, dia 29 de junho, centenas de pessoas concentraram-se em frente à Junta de Freguesia de Pedras Salgadas com o intuito de demonstrar desagrado e indignação no último dia de funcionamento do balcão da Caixa Geral de Depósitos na vila.

Um camião e uma pilha de paralelos foram colocados estrategicamente para bloquear o trânsito da Estrada Nacional 2, demonstrando, deste modo, que o principal motor da economia local, o granito, irá ser fortemente afetado com o encerramento daquela que é a única agência bancária da vila termal.
Por toda a vila foi possível observar cartazes com a frase “Em Lisboa é que roubam e o interior é que paga”.
Em declarações à comunicação social, Alberto Machado, presidente da Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar, garantiu que “tudo está a ser feito para tentar reverter a situação e já foi apresentada uma providência cautelar no Tribunal Administrativo, indicando o ‘crime’ que se está a cometer”.

loading...
Share.

Deixe Comentário