A Assembleia Municipal de Vila Pouca de Aguiar reuniu a 24 de fevereiro em que foram apreciados oito pontos, sendo que metade obteve deliberação.

Antes do período da ordem do dia, foi aprovada uma moção que sublinha a iniciativa de âmbito nacional em que a Associação Cívica Transparência e Integridade comunicou que «no Índice de Transparência Municipal 2016, o Município de Vila Pouca de Aguiar obteve a pontuação de 96.7 Pontos a que corresponde o 7º lugar no ranking dos 308 municípios do país».

No âmbito da celebração dos quinhentos anos do foral manuelino, esta reunião abordou a possibilidade de alterar o Dia do Município. O que ficou decidido: o presidente da Assembleia, Álvaro de Sousa, vai reunir com os representantes parlamentares para escolherem uma data de realização de uma reunião aberta à comunidade…

De seguida, procedeu-se à apreciação dos primeiros quatro pontos com a leitura dos seguintes assuntos: Informação do presidente da Câmara; EHATB com relatório de execução orçamental do 3º trimestre de 2016; EHATB com plano de atividades e orçamento para 2017; Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em Risco, tendo esta sido enaltecida pelo autarca Alberto Machado.

O ponto cinco relativo ao mapa de pessoal com contrato de trabalho por tempo indeterminado (alteração) foi aprovado por grande maioria (apenas duas abstenções); o regulamento da Feira de Gado de Vila Pouca de Aguiar (alteração) foi aprovado por unanimidade; a proposta de emissão de declaração de Reconhecimento Público Municipal para a Requalificação Funcional da Zona Ribeirinha de Pedras Salgadas foi aprovada pela maioria com 13 abstenções.

Por último, a proposta de protocolo de cooperação financeira e técnica com a Junta de Freguesia de Soutelo de Aguiar/Conselho Diretivo de Baldios de Parada de Aguiar foi aprovada por unanimidade. No tempo destinado ao público, foi salientado o trabalho da Proteção Civil e abordadas as obras do Quartel dos Bombeiros.

Share.

Deixe Comentário