Os documentos referentes às grandes opções do plano e orçamento para 2018 foram aprovados por maioria em reunião de Câmara que decorreu a 7 de dezembro.O presidente da Câmara, Alberto Machado, ressalva a importância de continuar a reforçar o investimento na prevenção florestal e na necessidade da administração central transferir competências para as autarquias locais que são as que efetivamente podem resolver o problema nacional com a floresta.
O autarca salientou que o Município irá aplicar em 2018 cerca de um milhão de euros em medidas para a preservação da floresta. As verbas advirão das rúbricas de proteção civil e de defesa do meio ambiente, esta com transferências para as Juntas de Freguesia.
No resumo das grandes opções do plano, as rúbricas que envolvem mais verbas, em termos globais (plano de atividades municipal e plano plurianual de investimentos), são habitação e urbanização (4,5 milhões de euros), saneamento e salubridade (2,4 milhões de euros), cultura, desporto e tempos livres (2,3 milhões de euros) e educação (1,1 milhões de euros). Além das áreas já referidas, há outras rúbricas que recebem na ordem das centenas de milhares de euros, designadamente desenvolvimento económico e abastecimento público, ação social, comunicações e transportes, serviços municipais e eficiência energética, entre outras.
No que respeita ao orçamento, segundo o documento apresentado, as receitas correntes previstas para 2018 apresentam um montante de 14.372.950€, sendo as despesas correntes de 13.511.597€; o saldo positivo permite investimentos e amortização de dívida. O valor global do orçamento previsto para o ano de 2018 é de 21.134.945€.

Redação/CM Vila Pouca de Aguiar

loading...
Share.

Deixe Comentário