Na passada sexta-feira, dia 5, foi realizada em Quintela, concelho de Valpaços, mais uma ação na luta contra a vespa das galhas do castanheiro.

Encontrada pela primeira vez no Minho, mais precisamente na região de Barcelos, esta praga foi detetada em finais do ano de 2015 na região de Trás-os-Montes. É um pequeno inseto que deposita os ovos nos gomos dos ramos dos castanheiros levando à deformação dos novos rebentos.

Na zona de Denominação de Origem Protegida (DOP) da Padrela, em Valpaços, a vespa das galhas do castanheiro foi detetada em castanheiros adultos há relativamente pouco tempo, algo que tem vindo a preocupar os habitantes do concelho valpacense.

No passado dia 5 de maio foram libertados, em alguns castanheiros da localidade de Quintela, os parasitoides que ajudarão a exterminar as vespas que estão a prejudicar os castanheiros alimentando-se delas.

Alcina Teixeira, residente em Quintela, viu os seus castanheiros atacados por esta praga: “que eu desse conta, esta praga apareceu este ano. No ano passado demos conta que um dos castanheiros falhou a castanha porque dava sempre muita e demos conta que havia menos produção. Mas não ligámos muito. Achámos que poderia ter a ver com fatores da natureza. Afinal devia ser esta doença que já cá estaria. Esse castanheiro deu menos de cerca de 100 kg de castanha. É uma quebra muito grande”.

Algumas brigadas, destacadas pela autarquia, estão a percorrer os soutos do concelho de Valpaços na esperança de detetar todos os focos onde existe esta praga na esperança de conseguir salvar a produção de castanha, uma das joias do concelho, que representa cerca de 50 milhões de euros de volume de negócio.

Maura Teixeira

Share.

Deixe Comentário