Ver mais em ChavesTV1

Na passada sexta-feira, dia 20 de janeiro, celebrou-se o dia de São Sebastião em Couto Dornelas e em Alturas do Barroso. Mais uma vez, os fiéis devotos cumpriram a promessa feita ao Santo.

Reza a história que há muitos anos, precisamente no dia 20 de janeiro, os habitantes do Alto Barroso fizeram a promessa a São Sebastião de que lhe fariam uma festa na qual não iria faltar comida aos que nela participassem se este os livrasse da peste e da fome. O Santo cumpriu com aquilo que lhe foi pedido e desde então os fiéis devotos têm celebrado as festas em honra de São Sebastião.

Em Vila Grande (Dornelas) as festividades tiveram início com a celebração da Santa Missa, realizada por volta das 11h30 na Igreja Paroquial de Dornelas, a cargo do Monsenhor Silvério Guimarães. No final da missa, decorreu a procissão que percorreu a principal rua da localidade, na qual se voltou a cumprir o costume da “Mesinha de São Sebastião”, integrada na antiga tradição das refeições comunitárias, com mesas espalhadas por toda a rua, e os devotos puderam beijar o Santo e agradecer-lhe toda a fartura.

Os habitantes da aldeia trabalharam durante toda a noite anterior à festa e todo o dia para que nada falhasse. Foram cozidas centenas de broas e o arroz foi confecionado dos tradicionais potes. A comida foi posteriormente distribuída pelas muitas pessoas que estavam instaladas ao longo das mesas.

A festa de São Sebastião do alto barroso é conhecida um pouco por todo o país, com especial enfoque nas zonas do Minho, Douro e Beira Alta. Centenas de pessoas destes pontos de Portugal deslocaram-se de propósito a esta região do barroso, de autocarro em excursões organizadas ou no seu próprio automóvel. Algumas destas pessoas já são reincidentes nesta festa, e outras tiveram conhecimento através do “passa-a-palavra”. Como foi o caso de Emília Gusmão, residente em Barcelos: “Tive conhecimento desta festa através de um casal amigo que costuma vir todos os anos. No ano passado era para vir, mas como estava a chover desisti. Este ano aproveitei o bom tempo e vim. E ainda bem que vim!” Apesar de este ano não ter chovido, a semana da realização da Festa de São Sebastião foi uma das mais frias das últimas décadas. “O frio espanta-se a dançar”, concluiu Emília Gusmão.

Feijoada e vinho tinto “à farta” em Alturas do Barroso

Durante a tarde o centro da festa foi a localidade de Alturas do Barroso. De manhã, durante a procissão, o Sr. padre benzeu o vinho, a feijoada e o pão que foram o almoço das pessoas que foram passando pelo local da festa.

A Festa de São Sebastião é celebrada nestes moldes em Alturas do Barroso desde o ano de 1988 e há quem não falhe uma, como é o caso de Angelina, que aos 81 anos é a mais antiga cozinheira deste evento. A feijoada foi confecionada pelas senhoras da terra, com extremo empenho e dedicação, durante todo o dia, enquanto houvesse gente para degustar esta iguaria. Junto à entrada as pessoas puderam dar um pézinho de dança com a constante animação musical. À porta havia dois voluntários com uma cestinha na qual as pessoas poderiam deixar uma esmola a São Sebastião, e ajudar, desta forma, a pagar os elevados custos que esta festa acarreta.

Manuel Pereira Gomes é um dos voluntários que trabalham para que esta festa seja um sucesso e nada falte aos visitantes: “Estou aqui há 36 horas, com uma hora de sono. Mas o cansaço vale a pena, porque vale a pena trabalhar para esta gente toda. Trazem-nos muito calor ao coração e nós recebemo-los todos aqui de boa vontade”.

A Festa de São Sebastião é um dos principais eventos do concelho de Boticas. Paulo Pereira, presidente das Junta de Freguesia de Alturas do Barroso e Cerdedo, explicou isso mesmo: “É uma das festas mais populares daqui da região. Não só da aldeia de Alturas do Barroso, mas daqui do concelho. E é uma das festas que hoje traz muita gente, não só aqui à aldeia, mas que vêm visitar o concelho de Boticas, que é lindíssimo”.

Quem também fez questão de, mais uma vez, marcar presença nesta celebração foi Fernando Queiroga, presidente da Câmara Municipal de Boticas, acérrimo defensor das tradições locais: “É uma iniciativa que é do povo que quer preservar e continuar a cultivar as suas tradições. Aliás, quer aqui em Alturas do Barroso, quer em Dornelas, ou em Cerdedo, é a vontade das pessoas, o carinho e o gosto que têm pelas suas tradições, que se prontificam a fazer e a continuar a preservar as suas raízes”.

O autarca botiquense não poupou nos elogios às pessoas que estiveram envolvidas na organização da Festa de São Sebastião: “É esta gente que nos vai mantendo com forças para lutar cada dia que passa pelo nosso concelho. Porque se nós sentimos que gostamos do nosso concelho, que gostamos da nossa gente, esta gente sente como nós. Interiorizou também o nosso pensamento e faz isto com uma dedicação que eu às vezes fico admirado. Por mais boa vontade, por muito boa equipa que tenha um presidente de Câmara, se não houver esta quota-parte do seu povo, da sua população, o projeto vai por água abaixo. As pessoas do meu concelho gostam de receber bem. Obviamente que fico orgulhoso por tudo isto”.

Fernando Queiroga deixou a promessa de que no próximo ano haverá de novo a celebração da Festa de São Sebastião, porque estas tradições “não podem morrer”.

Maura Teixeira

Share.

Deixe Comentário