A terceira edição da Feira Franca de Produtos Saudáveis, uma organização do Município de Chaves em parceria com instituições de saúde e educação locais promoveu o convívio intergeracional, através de atividades lúdico pedagógicas realizadas no Mercado Municipal de Chaves.

“Promover os produtos da região, sensibilizar as crianças para a qualidade dos produtos locais e para a aquisição de hábitos alimentares saudáveis, incentivando o empreendedorismo” fazem parte dos objetivos da iniciativa, de acordo com Carlos Silva, da Câmara Municipal de Chaves.
Sob o lema “Aprender com a idade a investir no bem-estar e na saúde mental”, o evento juntou, na passada quinta-feiradia 6, seniores de diversos lares de terceira idade locais e crianças do primeiro ciclo a frequentar o segundo, terceiro e quarto anos.

Vendedores e compradores de várias gerações simularam um mercado de produtos saudáveis, onde o dinheiro era fictício mas os produtos eram reais e representativos da roda dos alimentos.
“Muitas crianças ainda não conhecem o dinheiro e os idosos estão aqui como conselheiros, trata-se de uma ajuda mútua”, onde a experiência de vida serve de aconselhamento, destacou Clara Sévegrand, em representação do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES), do Alto Tâmega e Barroso, equipas de Saúde Escolar Chaves I e Chaves II.

Experiência de vida como conselheira

Fernando Adão, de 74 anos, é utente da Santa Casa da Misericórdia de Chaves, mais concretamente da resposta social localizada em Vidago, o Lar Nossa Senhora da Conceição e esteve no Mercado Municipal “para ajudar os mais novos a vender e a comprar” servindo ainda de conselheiro, “as verduras devem fazer parte da nossa alimentação, ajuda a funcionar os intestinos”, dizia a um aluno do quarto ano, da Escola EB2,3 de Vidago, enquanto fazia os trocos da última venda de cenouras. André Pimentel de 11 anos ouvia-o atentamente e da experiência com os seniores assegurou que “é divertido”.

O ambiente do mercado é familiar a Laurindo Condez, o utente da mesma Estrutura Residencial para Pessoas Idosas. Antes de se aposentar ,vendeu produtos da terra, juntamente com a esposa, no Mercado Municipal de Chaves. “O trabalho da lavoura era árduo e pesado, fazia-se tudo à mão. Não havia máquinas como há agora”, disse, recordando quando ainda que vinha “de burra para a praça antiga”.
De acordo com a organização do certame, que serve também para assinalar o Dia Mundial da Saúde, os alimentos levados pelas crianças participantes, envolvidos na iniciativa, têm como finalidade ser doados à Santa Casa da Misericórdia de Chaves.

Sandra Gonçalves

Share.

Deixe Comentário