Entre os dias 3 e 6 de agosto realizou-se em Ribeira de Pena a XIX edição da Feira do Linho. Quatro dias nos quais se prestou um tributo à tradição etnográfica das gentes do concelho ribeirapense.

A abertura da Feira decorreu na tarde do dia 3, no salão nobre da Câmara Municipal de Ribeira de Pena, e contou com a presença de Carlos Miguel, secretário de Estado das Autarquias Locais.
Rui Vaz Alves, presidente da Câmara Municipal de Ribeira de Pena, sublinhou que este certame é organizado “com o intuito de promover, preservar e valorizar o património etnográfico associado ao trabalho artesanal do linho do concelho. E, ao mesmo tempo, proporcionar oportunidades de negócio a uma atividade que tem sido preservada por várias gerações”, e acrescentou ainda que é necessário “tentar fazer um esforço para inovar um pouco, para acrescentar valor, acrescentar interesse geral pela arte, modernizando-a até”.
No final da sessão solene, o Secretário de Estado acompanhou Rui Vaz Alves na habitual ronda pelos stands da Feira.
Neste mesmo dia destaque ainda para o cortejo alusivo às comemorações dos 500 anos da entrega do foral Manuelino, cujas celebrações decorreram em simultâneo com a Feira, e à noite a peça de teatro “A Nossa História” alusiva ao mesmo tema. Estes espetáculos envolveram toda a comunidade ribeirapense. O final da noite foi abrilhantado pelo músico português Diogo Piçarra, vencedor de uma das edições do programa Ídolos da SIC.
Na sexta-feira, dia 4, o grupo musical Costa Rica atuou antes e depois da cantora Ana Malhoa, a cabeça de cartaz deste dia.
No sábado o centro de Ribeira de Pena encheu com pessoas a deslocar-se de vários pontos do norte do país até à vila para assistir ao concerto de Tony Carreira.
No domingo, último dia da XIX edição da Feira do Linho, foi a vez de os ÁTOA fazerem as delícias dos visitantes. O grupo musical Os Implacáveis ficou encarregue de encerrar este certame que tem vindo a ganhar cada vez maior destaque na região norte do nosso país.

Maura Teixeira

Share.

Deixe Comentário