A aldeia de Tojais, em Limões, Ribeira de Pena, acolhe este domingo, dia 26, a cerimónia de evocação do padre Joaquim Afonso Gonçalves.

O padre Joaquim Afonso Gonçalves foi o maior sinólogo português, tendo deixado diversas obras impressas e manuscritas, num total de mais de cinco mil páginas didáticas, metalinguísticas e de tradução sacra, em português, chinês e latim.

Nascido a 23 de março de 1781 no lugar de Tojais, o pároco veio a falecer a 3 de outubro de 1841 em Macau, onde viveu e trabalhou durante quase três décadas como padre lazarista e professor, no Real Colégio de S. José, atualmente o Seminário de S. José.

A cerimónia tem início às 14h30 com a eucaristia presidida pelo bispo da diocese de Vila Real, D. Amândio José Tomás. Uma hora depois decorre a sessão evocativa onde marcarão presença o monsenhor Joaquim Albertino da Costa e o padre José Alves, da Congregação da Missão dos Padres Vicentinos. Pelo meio haverá uma palestra proferida pela professora Anabela Barros da Universidade do Minho, intitulada “De Trás-os-Montes para a China: Joaquim Afonso Gonçalves, o maior sinólogo português”, e um momento musical.

A cerimónia termina com o descerramento da placa de evocação ao padre Joaquim Afonso Gonçalves pelos presidentes da Câmara de Ribeira de Pena e da Junta de Freguesia de Cerva e Limões e pelo bispo D. Amândio José Tomás.

Share.

Deixe Comentário