Na passada segunda-feira, dia 8 de maio, Valpaços recebeu o terceiro de seis workshops da rede colaborativa “+ Turismo + Sabor”, iniciativa organizada pela ACISAT – Associação Empresarial do Alto Tâmega, e pela ADRAT – Associação de Desenvolvimento da Região do Alto Tâmega.

“+ Turismo + Sabor – Alto Tâmega com Sabor”, que teve início em Chaves no passado dia 13 de março e que culminará em Ribeira de Pena no dia 3 de julho, tem como propósito a união e a promoção dos setores do turismo e do agroalimentar, o desenvolvimento de uma marca comum e a internacionalização das empresas locais. Este workshop contou com a presença de 84 participantes.

O tema escolhido para o terceiro workshop da rede foi “Promoção e Comercialização” e os oradores escolhidos foram Manuel Au-Yong Oliveira, professor auxiliar na Universidade de Aveiro, especialista em marketing, estratégia, empreendedorismo e responsabilidade social, e Pedro Caramez, professor convidado em Marketing de várias instituições de ensino superior, com experiência há quase 15 anos em treinamento e coaching, dos quais oito anos em redes sociais e marketing digital. Tal como nos dois workshops anteriores, realizados em Chaves e em Montalegre, respetivamente, estiveram também presentes dois representantes da SPI – Sociedade Portuguesa de Inovação, e Carla Branco, socióloga e diretora executiva da empresa Partnia, Lda., com experiência nas áreas educativa, social, comercial e de gestão. Durante as duas últimas intervenções foram realizadas dinâmicas de grupo relacionadas com a promoção das empresas e do território.

Amílcar Almeida, presidente da Câmara Municipal de Valpaços, fez questão de estar presente na abertura do workshop. “Se temos produtos de qualidade temos de ter uma marca de qualidade associada a esses produtos. Daí a criação da ‘Valpaços, a Essência Natural’”, realçou o autarca valpacense. Amílcar Almeida explicou ainda de que forma a autarquia promove os seus produtos, e destacou a forte divulgação feita nos grandes centros urbanos, com cartazes nas cidades do Porto e Lisboa. “E temos tido retorno”, sublinhou.

Manuel Au-Yong Oliveira, o primeiro dos oradores convidados a usar da palavra, realçou a importância do marketing no desenvolvimento de uma empresa: “Acho que nenhuma empresa pode virar as costas ao marketing, nem ao marketing digital. É o futuro. Os jovens estão mais tempo no smartphone e nas redes sociais do que a ouvir os professores, do que a ler livros. É preciso inovar e renovar. Inovar pode ser mais ou menos radical, renovar pode ser mais ou menos na continuidade. Mas temos de ter sempre coisas novas, rostos novos. No fundo, nem que seja a mesma coisa mas tem de se vestir de forma diferente. E esse vestir de forma diferente também faz parte do marketing”.

Manuel Oliveira teceu ainda rasgados elogios à rede: “Sucesso é energia, e eu vejo muita energia aqui neste workshop. E acho que é muito positivo haver pessoas a querer fazer. Porque nós podemos ter as soluções todas, mas se não tivermos a motivação para as seguir, se não sairmos do sofá nada se faz, nada se concretiza. Aquilo que eu vejo aqui é muito positivo”.

Pedro Caramez é especialista em marketing digital e explicou que hoje em dia não é necessário gastar muito dinheiro para que uma empresa possa apostar fortemente nesta área: “Vim cá falar ao grupo sobre as potencialidades que estão ao abrir de um clique ou dois, e do potencial que esse clique ou dois pode trazer para os negócios, para as produções, para todos estes negócios locais que de alguma forma têm hoje aqui um espaço de intervenção maior e de acesso obviamente muito mais largo do que outras ferramentas há uns anos poderiam pressupor. Portanto, foi nessa tentativa de despertá-los para esta revolução digital, levando-os um bocadinho a que haja também essa maior predisposição e vontade deles em conhecer esses desafios e em conseguir encontrar aqui uma presença que lhes traga obviamente notoriedade, representatividade também para o negócio e para a região”.

Este professor e escritor de mais de 200 artigos, e com dois livros esgotados, frisou que iniciativas como esta rede colaborativa são a prova de que “juntos somos mais fortes. Em muitos dos casos há tipicamente uma experiência muito individualizada, muito repartida, e, muitas das vezes, num esforço muito superior, e claramente sem os mesmos resultados. Portanto, acredito que esta força que se está a gerar e o entusiasmo que hoje tive a oportunidade de comprovar demonstram que há obviamente aqui um grande caminho para percorrer. Acho que vai daqui surgir um conjunto de projetos que vai deixar-lhes seguramente muitos novos desafios pela frente”.

“Está a gerar-se uma rede”

O aumento do número de participantes neste workshop, comparativamente ao workshop realizado em Montalegre no passado dia 3 de abril, foi notório. Jorge Paulo Santos, presidente da ACISAT, demonstrou-se muito satisfeito com esse facto: “Aqui em Valpaços aumentámos o número de participantes e portanto a adesão à rede continua a revelar-se intrínseca, motivacional. Havia o objetivo de criar uma rede, e eu corrigia que o termo criar agora é gerar. Está a gerar-se uma rede. Está a ser uma motivação própria das pessoas esta inscrição. O conhecimento do projeto consolida-se, evidentemente”.

“A intenção desta fase do projeto é efetivamente criar uma rede colaborativa que cruze as duas atividades destes dois setores: do agroalimentar e do turismo. E obviamente as pessoas perceberam que a qualidade dos oradores, das intervenções, do apoio académico que temos envolvido no projeto tem efetiva qualidade e portanto se aprende nestas participações. E mais. Há um momento efetivo para participar, para colaborar, e para serem ouvidos, que é uma caraterística que todos reconhecem como sendo de grande qualidade”, acrescentou.

O dia culminou com um almoço networking e com visitas guiadas à Cooperativa de Olivicultores e à Adega Cooperativa de Valpaços.

O próximo workshop desta rede colaborativa terá lugar no próximo dia 29 em Boticas e as inscrições estarão abertas a partir desta segunda-feira.

Maura Teixeira

Share.

Deixe Comentário