Milhares de livros portugueses estão, neste momento, num navio, a caminho de Timor-Leste, para serem distribuídos pelos alunos do Centro de Aprendizagem e Formação Escolar de Ainaro. A iniciativa solidária partiu da PSP de Chaves e contou com o apoio dos agrupamentos escolares e dos CTT locais.

São livros que abordam diferentes áreas disciplinares do ensino básico e que têm como objetivo aproximar culturalmente os dois países e contribuir para a aprendizagem da língua portuguesa naquele país.
“Esperamos também que esses alunos, quando chegarem à idade adulta, consigam reconhecer um pouco do nosso país que apesar de estar distante sempre olhou por eles”, acrescentou o subcomissário da Polícia de Segurança Pública (PSP) de Chaves, Justino Portugal.

Esta é a terceira campanha de recolha de livros promovida pela PSP de Chaves, em especial pela chefe Ana Maria Pires e pelos elementos do MIPP – Modelo Integrado de Policiamento de Proximidade.
O projeto solidário contou ainda com a participação dos três agrupamentos escolares, da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas Dr. António Granjo e dos correios.

Os agrupamentos tiveram como principal tarefa a separação dos manuais que já não eram necessários mas que estão em excelentes condições de utilização. Para Paula Barros, diretora do Agrupamento de Escolas Dr. António Granjo, esta iniciativa foi recebida com bastante satisfação uma vez que os livros são importantes ferramentas de aprendizagem e irão contribuir para a formação das crianças em Timor.

Na opinião da professora Beatriz Martins, do Agrupamento de Escolas Dr. Júlio Martins, esta é uma ação que vem também reforçar a comunicação entre os dois países que têm em comum a língua portuguesa.
À semelhança do que aconteceu nestes agrupamentos escolares, o projeto solidário foi recebido de braços abertos por toda a comunidade do Agrupamento de Escolas Fernão de Magalhães: “Achamos que quem tem em excesso deva dar a quem não tem nada ou que tem muito pouco. Desta forma, estamos a contribuir para a felicidade de um povo que já sofreu bastante e a ajudar também na sua reconstrução”, sublinhou o diretor do agrupamento Fernando Castro.

Os livros, com destino a Timor, foram enviados na quinta-feira passada, dia 11, numa cerimónia simbólica que decorreu nas instalações da PSP de Chaves, e dentro de algumas semanas serão recebidos no Centro de Aprendizagem e Formação Escolar (CAFE) por uma professora que é de Chaves e que conhece muito bem as necessidades das crianças que ensina.
Na cerimónia estiveram também presentes responsáveis dos CTT de Chaves, que de forma gratuita garantem o transporte dos livros até Timor.

Cátia Portela

Share.

Deixe Comentário