PS de Chaves considera que opinião dos flavienses deveria ter sido ouvida na conceção do projeto de requalificação e remodelação do Largo do Terreiro de Cavalaria.

O líder do Partido Socialista (PS) e candidato à Câmara de Chaves nas próximas eleições autárquicas, Nuno Vaz, convocou na terça-feira passada, dia 21, uma conferência de imprensa para falar sobre a requalificação e remodelação do Largo do Terreiro de Cavalaria, mais conhecido por Jardim do Bacalhau.

O responsável começou por esclarecer que a aprovação do projeto para a requalificação e remodelação do espaço apenas contou com os votos a favor do Partido Social Democrata (PSD) e do Movimento Autárquico Independente (MAI), sendo por isso uma decisão que “não conta com o apoio dos representantes do Partido Socialista no executivo municipal”.

Para Nuno Vaz a intervenção que está projetada para o Jardim do Bacalhau é “mais uma decisão desacertada” porque não teve em conta a opinião dos habitantes.
“Depois dos erros sucessivos que têm sido cometidos em espaços e equipamentos públicos, depauperando ainda mais as finanças municipais e gastando dinheiro que é de todos nós, achávamos que a câmara municipal iria auscultar e ouvir os cidadãos, os comerciantes, os seus parceiros e as instituições da cidade. Estranhamente não o fez e neste momento já há claramente uma identificação de como irá ser feita essa intervenção naquele que é um espaço central e de memória na cidade”, disse o dirigente.

Recorde-se que o executivo municipal aprovou, na reunião de câmara de 17 de fevereiro, o projeto de execução e o procedimento concursal para a adjudicação da empreitada relativa à requalificação e remodelação funcional e paisagística do Largo do Terreiro de Cavalaria, bem como a construção de um centro de convívio naquele espaço.

“Ouvimos agora dizer que o senhor presidente da câmara iria agora promover um espaço de discussão. Mas mais uma vez há um desacerto. Nós temos de permitir que as pessoas participem no momento adequado, ou seja, no momento anterior à decisão, porque todos os esclarecimentos que são prestados posteriormente à decisão não permitem melhoria desses mesmos processos e não permitem que as decisões sejam informadas por aquilo que são as vontades, os quereres e as perspetivas dos cidadãos”, sustentou Nuno Vaz.
O líder do PS acusa assim o presidente da Câmara de Chaves de continuar com “uma visão autoritária, distante e pouco democrática” e deu como exemplo outras obras já realizadas na cidade e onde a opinião dos flavienses não foi ouvida, nomeadamente no caso do Jardim das Freiras e da praça defronte do Tribunal de Chaves.

Embora o dirigente esteja de acordo com a remodelação da praça, através da preservação dos traços originais do local e das características paisagísticas, era importante também, na sua opinião, corrigir um erro que foi “a construção do edifício que existe no topo norte do Jardim do Bacalhau”.

No lugar do atual Posto de Turismo, e de acordo com o projeto, irá nascer um centro de convívio, mais uma má decisão na perspetiva do candidato do PS à Câmara de Chaves: “É um erro e uma perda de oportunidade para restaurar aquele espaço e torná-lo num local perfeitamente liberto, com um corredor de vivências, fundamental para a cidade”.

Adquirir e requalificar alguns edifícios envolventes ou aproveitar o antigo magistério primário ou, ainda, recuperar algumas habitações do centro histórico são algumas das soluções apontadas por Nuno Vaz para localizar o centro de convívio que a Câmara de Chaves pretende construir.
Em forma de conclusão, o líder do PS local disse que se trata de mais “um momento onde se revela a incapacidade de perceber aquilo que são os desejos dos flavienses” mas sobretudo uma oportunidade perdida para atrair pessoas ao centro da cidade.

“Nós queremos que a cidade seja das pessoas, dos seus cidadãos, que seja amada pelos flavienses, porque se não for amada por nós também não será amada pelos turistas”, concluiu Nuno Vaz.
Na conferência de imprensa esteve igualmente presente Francisco Melo, representante do PS na Câmara de Chaves.

Cátia Portela

Share.

Deixe Comentário