O piloto de Vila Pouca de Aguiar, André Pires, não participou na final do Grande Prémio de Macau, devido a uma avaria na sua mota, mas conseguiu a sua melhor qualificação de sempre ao ser 23º.

No final de duas sessões de qualificação onde conseguiu mesmo baixar em quase uma mão cheia de segundos a sua melhor volta nos 6.200 metros do Circuito da Guia, André Pires garantiu a 23ª posição para o 51º GP de Macau de motociclismo.
Aos comandos da sua Kawasaki ZX10R o piloto transmontano conseguiu na derradeira sessão efectuar a sua melhor volta em 2m32.167, a cerca de nove segundos da melhor passagem registada por Glenn Irwin, com o piloto irlandês a bater o recorde de qualificação que estava nas mãos de Michael Rutter desde 2010.
“A qualificação foi francamente positiva e penso que poderia ter melhorado um pouco mais se não tivesse apanhado algum trânsito na zona alta do circuito. Mas foram quase menos cinco segundos na melhor volta que são fruto das melhores afinações que vamos encontrando na nossa moto”, realçou André Pires no final da qualificação.
No entanto, no dia decisivo, um problema no motor retirou o piloto de Vila Pouca de Aguiar da corrida.
“São coisas que nos ultrapassam e é a maior tristeza que tive até hoje. Não poder participar nesta prova é muito mau, mas é porque tinha de ser. Correram bem os treinos, mas com um problema no motor e sem material suplente fiquei a ver a corrida de fora. Obrigado a todos pelo apoio e espero voltar no próximo ano com mais força”, atirou André Pires.
O aguiarense procurava melhorar o 19º lugar obtido no ano anterior, nesta que foi a sua quinta participação no GP Macau, cuja edição de 2017 se realizou entre 16 e 19 de novembro.

Diogo Caldas

loading...
Share.

Deixe Comentário