Foi na cidade de Chaves que a Federação Portuguesa das Associações de Suinicultores (FPAS) iniciou, na segunda-feira, dia 5, o roadshow de apresentação da primeira marca de carne de porco 100% portuguesa.

A porco.pt é um projeto que pretende diferenciar a qualidade de carne de porco nacional e assume-se como uma resposta para a valorização e crescimento do setor.
A nova marca foi apresentada no Centro Cultural de Chaves sob o mote “Dê o porco ao manifesto – escolha o que é nosso” e contou com a presença do presidente da Câmara de Chaves.
“Esta marca caracteriza-se por uma qualidade de carne superior, mais tenra, com maior paladar e textura e é proveniente de animais que são criados em melhores condições de bem-estar. A ânsia de ganhar dinheiro dos agentes económicos e a pressão externa que foi feita sobre a produção nacional e sobre os operadores nacionais levou a que durante décadas andássemos a estragar a carne. Neste momento estamos a voltar às origens, à ruralidade, à tradição, aos saberes do povo português e é esse conjunto de caraterísticas que queremos transmitir a este produto”, referiu o presidente da FPAS, Vítor Menino.
Os suínos, esclarece o responsável, são alimentados à base de cereais e os seus produtores têm cuidados acrescidos, nomeadamente ao nível do espaço proporcionado (mais 10% do que aquilo que as normas europeias determinam) o que origina uma carne ausente de odores e com características mais naturais.
Neste contexto, Vítor Menino diz que estão reunidas todas as condições para “dar ao consumidor português a oportunidade de escolha entre a carne que é produzida indiscriminadamente, e que concorre com a carne que exportamos, e a carne de qualidade superior”.


Presente no evento, o autarca flaviense elogiou a iniciativa e disse ser “um pouco incompreensível” que se importe carne de porco num país como Portugal, que deveria ser, na sua opinião, um grande exportador.
“No mercado há sempre lugar para carne de menor qualidade mas podíamos contrabalançar com uma grande produção nacional de grande qualidade e exportarmos para os grandes mercados europeus e mundiais”, sublinhou António Cabeleira.
Para o dirigente, Portugal possui características ótimas para a produção da carne de porco e pessoas experientes.
Todos os produtores podem aderir a este projeto desde que manifestem o seu interesse e cumpram com todas as normas presentes no caderno de especificações, que foi aprovado pelo Ministério da Agricultura e certificado por uma empresa independente, a Certis.
A carne de porco 100% portuguesa encontra-se presente nos supermercados Pingo Doce, em todas as superfícies comerciais do grupo Auchan, em vários talhos espalhados um pouco por todo o país e muito em breve será também vendida pela Sonae. Nos locais o produto está devidamente identificado, com o logotipo porco.pt e o selo de certificação.
O projeto de certificação da carne de porco 100% portuguesa foi lançado no dia 23 de junho deste ano e, de acordo com o presidente da federação, já aderiram 60% dos produtores nacionais. Vítor Menino acredita que este número irá crescer à medida que os consumidores forem aumentando.
De acordo com dados avançados durante o evento, em Portugal o setor emprega 180 mil pessoas e gera um volume de negócios na ordem dos seis milhões de euros, sendo a carne mais consumida em todo o mundo.
O encontro em Chaves terminou com uma degustação da carne de porco.pt.

Cátia Portela

Share.

Deixe Comentário