Não estava nem nas melhores perspetivas de Luís Miguel Saraiva, mas na estreia pela seleção portuguesa, e na primeira prova internacional, o transmontano sagrou-se vice-campeão europeu de Corrida de Montanha, na prova realizada na Eslováquia.

Luís Miguel Saraiva,à esquerda, sagrou-se vice-campeão europeu

O passado sábado, dia 8 de julho, ficará na memoria do atleta de Vila Pouca de Aguiar, que se tornou vice-campeão europeu. “Este resultado era algo que não estava nada à espera. Antes da prova nem nas minhas melhores perspectivas eu imaginava um resultado deste nível”, confessou após o regresso a Portugal.
O seu resultado ajudou ainda a seleção nacional, ainda com Carlos Lopes e José Carvalho, a conquistar o bronze por equipas, a melhor classificação de sempre.

Após ter sido vice-campeão nacional de montanha, na prova realizada em Mondim de Basto em junho, o atleta de 23 anos foi convocado para a seleção nacional, para estar presente no europeu, e não rejeitou o convite, que terminou em glória, com os 12 km percorridos em 1:03:34, a menos de um minuto do vencedor.

“A prova era bastante dura. Eram 12 km sempre em subida com zonas bastante técnicas o que dificultava ainda mais. Correu tudo super bem. Os dois primeiros km eram um pouco mais planos e eu aproveitei essa parte para me posicionar bem logo desde início. Andei a prova toda dentro do top 10 e logo numa fase inicial ficamos quatro ou cinco atletas um pouco mais destacados. Vim sempre junto do Xavier, (o vencedor da prova com 1:02:51) e sentia que podia estar perto de alcançar algo histórico”, realçou.

Depois, “a cerca de 4 km do final tivemos uma descida um pouco extensa e aí perdi alguns segundos para ele e para os outros dois atletas que seguiam connosco. Contudo consegui chegar a frente e alcançar o 2º lugar, ao atacar na parte final”.
O atleta do SC Braga tem agora a final de clubes de pista ao ar livre, sendo o seu objetivo “ajudar o clube a chegar a um lugar de pódio”.

3 perguntas a Luís Miguel Saraiva, vice-campeão europeu de corrida em montanha

A Voz de Chaves: Na primeira participação pela seleção este resultado, como foi essa experiencia de ganhar por Portugal?
Luís Miguel Saraiva: É algo único. Estar pela primeira vez ao serviço da seleção é por si só algo fabuloso, juntar a isso um titulo como este é algo único e que jamais esquecerei.

Como era o ambiente, quer entre equipas que na corrida?
O ambiente antes e depois da prova é muito bom. Um espírito de camaradagem por parte de todas as seleções. Durante a prova é algo de “ arrepiante”. Os últimos 4 ou 5 km eram numa zona com acesso mais fácil para todas as pessoas, e desde aí até à meta, é um ambiente fantástico. A fazer lembrar as grandes etapas da Volta a França, com milhares de pessoas a apoiar, a gritar, a tentar correr junto a nós. Soberbo mesmo.

Esta é agora a tua especialidade ou ainda continuas à procura da certa?
No que à minha especialidade diz respeito, isso é sem duvida a estrada, pista e corta-mato. São aquelas em que me sinto mais a vontade e onde realmente quero atingir um patamar elevado. Mas claro que depois de um feito destes não posso colocar totalmente de parte a montanha. Veremos o que acontece daqui em diante.

Diogo Caldas

Share.

Deixe Comentário