O treinador do Desportivo de Chaves, Daniel Ramos, considerou que o sorteio da I Liga portuguesa de futebol ditou “um bom teste para a sua equipa” com a visita ao campeão FC Porto na estreia. Plantel ainda por completar.

O emblema de Trás-os-Montes começa o campeonato com a deslocação ao Estádio do Dragão, no Porto, para defrontar o campeão em título, e o técnico de 47 anos realçou que será um arranque com um “grau de dificuldade muito grande”.
“Vamos jogar fora de casa num ambiente difícil, certamente com o estádio cheio, o que nos irá testar ao máximo”, alertou, explicando que será também “uma boa avaliação” para o nível em que o Desportivo de Chaves estará naquele momento.
Além da visita ao FC Porto na primeira jornada, o Desportivo de Chaves recebe o Sporting de Braga na quarta jornada e o Benfica na sexta ronda e, para o novo treinador do emblema flaviense, o sorteio “não foi favorável”, pois ditou um início de época “frente a equipas de grande valia”.
“Apesar das dificuldades e da tarefa difícil, não deixaremos de ter a ambição de arrancar o melhor possível”, assegurou.

Quatro reforços ainda vão chegar

O grupo de trabalho terminou no passado sábado, a primeira semana de treinos e Daniel Ramos analisou-a como “positiva”.
“Tivemos seis jogadores da equipa satélite o que nos permitiu conhecê-los, não perdemos qualquer jogador durante a semana e o rendimento deles foi ótimo”, lembrou.
O plantel do Desportivo de Chaves continua em aberto e vão ser contratados pelo menos mais quatro reforços, dois para as alas, um ponta-de-lança e um médio.
“Pelo menos esses quatro jogadores vão chegar e a próxima semana vai ser muito importante, pois existem muitas opções no mercado, mas temos de ser rápidos e escolher bem”, alertou, garantindo que “os alvos estão identificados”.
Até ao momento, o clube da I Liga já contratou seis jogadores para a próxima temporada, nomeadamente João Teixeira, ex-Benfica, Marcão, ex-Rio Ave, Luís Martins, ex-Marítimo, Filipe Brigues, ex-União de Leiria, David Moura, ex-Vilafranquense, e Avto, ex-Académico de Viseu.
O treinador do Desportivo de Chaves Daniel Ramos, ex-Marítimo, substitui no comando técnico Luís Castro, que rumou ao Vitória de Guimarães.

Ricardo satisfeito por equipa manter espinha dorsal do ano passado

O guarda-redes do Desportivo de Chaves Ricardo Nunes destacou a importância de a equipa manter “a espinha dorsal” da época anterior, para tentar “fazer melhor” na nova temporada da I Liga portuguesa de futebol.
O jogador, que já passou por clubes como FC Porto, Vitória de Setúbal, Académica ou Varzim, completou 36 anos na semana passada e lembrou que o manter da estrutura base é “fundamental para que os novos jogadores se adaptem mais facilmente”.
Os flavienses igualaram a segunda melhor classificação de sempre na I Liga na época passada, com o sexto lugar, e o guarda-redes estabeleceu como meta “tentar fazer melhor do que o ano passado”, mas só depois de assegurada a manutenção e um lugar na metade superior da tabela.
“O Chaves está a consolidar a sua posição e estatuto no futebol português, e pelo clube que é e pelas condições que está a criar, os objetivos só podem ser grandes”, assegurou.
A nível pessoal, após uma época “intermitente”, onde somou 18 partidas, Ricardo Nunes espera ter uma temporada “livre de lesões”, para que possa “jogar com regularidade”.
“As duas últimas épocas não têm sido fáceis devido às lesões sofridas, e o que mais peço é que não apareçam este ano”, confessou o experiente jogador, salientando a “competição saudável” de todos os guarda-redes do emblema transmontano.
Após a primeira semana de treinos do Desportivo de Chaves, Ricardo garantiu haver uma “simbiose perfeita entre grupo e treinador”.
“Estamos completamente de acordo com as ideias da equipa técnica e estamos a corresponder aquilo que nos é pedido”, explicou o jogador que parte para a terceira época consecutiva na equipa de Trás-os-Montes.

Diogo Caldas

loading...
Share.

Deixe Comentário