Numa tarde desinspirada, equipa transmontana demonstrou que também se pode ganhar sem jogar bem. Bressan ganhou e converteu castigo máximo decisivo e histórico.

O técnico dos transmontanos operou apenas uma mexida no onze face ao encontro com o FC Porto, lançando Ricardo na baliza, para o lugar de António Filipe, fazendo regressar à titularidade o guardião.
Não entrou bem na partida a equipa flaviense, algo que se sentiu durante grande parte do encontro. Ao contrário do que é habitual, faltou capacidade para trocar a bola, impor o seu jogo de posse e jogar no meio campo adversário.
Os primeiros sinais de perigo começaram por pertencer ao Moreirense, que tinha em estreia o novo técnico, Petit.
Aos quatro minutos Arsénio inventou a jogada e tentou servir Edno, que estava em posição privilegiada para marcar, mas Ricardo saiu e agarrou a bola antes de males maiores.
Já aos 17, é Bilel a assustar as redes do Chaves, com um remate forte que não passou muito longe da baliza.
Sem conseguir chegar com perigo à baliza de Jhonatan, também o Moreirense, embora melhor, não conseguia ser mais perigoso.
Aos 35 minutos o golo voltou a pairar a baliza flaviense, com Rúben Lima a tabelar com Edno e a bola a ir na direção de Bilel, mas Djavan não permitiu o golo ao cortar para canto.
Apenas na reta final do primeiro tempo os flavienses deram um ar da sua graça, ao aproximarem-se da baliza contrária e ao tentarem criar perigo.
Aos 40 minutos Paulinho subiu no flanco e tentou servir Davidson na área, mas a bola saiu longa. Logo a seguir, Djavan ganhou a bola a Sagna em zona alta no terreno e Davidson tentou o remate, entretanto barrado.

Bressan ganha penalty e decide encontro

No retomar da partida continuava a ser o Moreirense a comandar as operações. Novamente sem grande perigo, em concreto, mas os minhotos estavam mais perto da baliza de Ricardo.
Até à hora de jogo, Tozé voltou a tentar o golo num remate que não chegou à baliza e Paulinho tirou em cima da linha uma bola após um canto.
No jogo das substituições, Eustáquio e Perdigão entraram para o lugar de Pedro Tiba e Perdigão. A equipa da casa também mexeu, com Zizo a ser lançado para o lugar de Bilel.
Aos 66 minutos, Edno esteve perto do golo na transformação de um livre direto, mas Ricardo parecia ter o lance controlado.
O caso do jogo, que decidiu a partida, surgiu então aos 69 minutos, quando Bressan, em pressão alta à saída de bola do Moreirense, ganhou a bola a Belkeroui, com o central a fazer falta na grande área sobre o médio dos flavienses.
Após uma grande confusão, onde Petit acabou mesmo expulso, e após Nuno Almeida ter consultado vídeo-árbitro, a grande penalidade foi mesmo assinalada e Bressan tratou de converter em golo.
O momento do jogo aconteceu nos 15 minutos finais do desafio, e a equipa da casa, mesmo com menos um homem, continuou mais forte no ataque. Voltando à carga, o Moreirense apenas muito perto do fim ficou perto do empate.
Já nos descontos, após uma bola parada, Fofana faz falta na pequena área sobre Ricardo, e apesar de ter introduzido a bola na baliza, o lance estava invalidado.

Diogo Caldas

loading...
Share.

Deixe Comentário