Durante todo o mês de março, a Guarda Nacional Republicana realiza a operação “Censos Sénior 2017”, uma iniciativa que visa identificar toda a população idosa que vive sozinha e/ou isolada. No passado dia 14, terça-feira, o jornal A Voz de Chaves acompanhou uma patrulha da GNR do Destacamento Territorial de Chaves numa visita a algumas aldeias do concelho de Montalegre.

Deslocámo-nos no carro da GNR até algumas aldeias mais remotas do concelho de Montalegre, e descobrimos que há muitos casos de pessoas, com mais de 65 anos, que moram mesmo no centro da aldeia mas vivem completamente isoladas pois as casas à sua volta estão desabitadas. Algumas porque os seus moradores já faleceram, outras porque são casas de pessoas que emigraram e só estão habitadas nos meses de verão.

É o caso do senhor Daniel que é viúvo e vive sozinho. O seu filho é habitante da mesma aldeia mas trabalha fora e, por isso, só estão juntos à noite. Este idoso destacou que todo o cuidado é pouco: “Temos de ter sempre muito cuidado. Fecho as portas e meto a chave ao bolso. À noite nunca abro a porta a ninguém”. Este habitante do concelho de Montalegre demonstrou-se muito contente com a visita da Guarda Nacional Republicana: “Gosto muito de os ver por cá. Até deviam vir mais vezes para ver se metem medo aos larápios que é preciso ter muito cuidado com eles”.

Durante a operação, os militares da GNR realizam ações de sensibilização para que a população em questão tenha mais cuidados relativamente aos riscos que poderão correr, como furtos ou burlas. Estes militares têm também tido o cuidado de informar sobre a mudança da nota de 50 euros, entrando em circulação, já no próximo dia 4 de abril, a nova nota da série “Europa”. Tal como aconteceu com as notas de 5, 10 e 20 euros, também esta verá as suas caraterísticas alteradas. No entanto, as que ainda estão em circulação continuarão a ser válidas, não sendo necessário efetuar a troca das mesmas. “Quando começaram as trocas das notas era comum haver burlas. Daí estarmos a alertar as pessoas. A maior parte delas está sensibilizada para isso, uma vez que já é uma situação recorrente. Mas continuamos a alertá-las. E mesmo assim elas perguntam-nos se de facto não há a necessidade de trocar a nota e é isso que nós lhes informamos, que não há a necessidade de trocar a nota. E no caso de serem abordadas por alguém que tente fazer esse tipo de ações, devem ligar para a guarda para que, pelo menos, a pessoa que está a fazer esse tipo de burla possa ser identificada”, explicou o Capitão Lopes, comandante do Destacamento Territorial da GNR de Chaves.

No decorrer da operação é feita ainda a divulgação do programa “Residência Segura”. Este programa permite à GNR a recolha dos elementos necessários para a elaboração do mapa da região, com a localização georreferenciada de todas as residências que aderem ao projeto. Esta identificação geográfica torna assim mais eficazes as ações de patrulhamento e a vigilância dos militares da GNR, tornando ainda mais breve a resposta em casos de urgência.

Durante o resto do ano, a GNR efetua visitas frequentes a estes idosos para poder estar a par de tudo.
Com os “Censos Sénior” a Guarda Nacional Republicana tem a possibilidade de atualizar os dados anteriores, e identificar novas situações. Relativamente ao ano passado, em todo o território nacional, foram sinalizados 43322 idoso dos quais 26 mil viviam sozinhos, 4626 viviam isolados, 3085 viviam sozinhos e isolados, e 9611 não se enquadram nas caraterísticas anteriores, estando em situação de vulnerabilidade fruto de limitações físicas e/ou psicológicas. No que à área de ação do Destacamento de Chaves diz respeito, em 2016 foram sinalizados cerca de 2 mil idosos como estando isolados, dos quais 75 viviam em situações mais preocupantes, tendo assim visitas mais frequentes da patrulha da GNR.

A GNR de Chaves estará até ao final do mês de março a visitar os concelhos de Chaves, Boticas, Montalegre e Valpaços no âmbito desta operação.

Maura Teixeira

Share.

Deixe Comentário