O ex-ministro da Saúde, Paulo Mendo, foi homenageado durante as I Jornadas de Saúde de Trás-os-Montes e Alto Douro, que terminaram no sábado passado, dia 26, em Mirandela.

Médico neuroradiologista, secretário de Estado da Saúde entre 76-77 e 81-83, foi titular da pasta entre 1993 e 1995. Dirigiu o Hospital de Santo António durante sete anos (1986-1993) e, no ramo do ensino, foi regente da cadeira de Radiologia na licenciatura de Medicina do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (Universidade do Porto), instituição que dirigiu entre 1984-1988.

Paulo Mendo esteve na génese do Hospital Terra Quente (HTQ) desde a primeira hora, tendo contribuído para a implementação de um conjunto de valências em estrutura vertical, que abarca os serviços de saúde em geral, uma Residência Sénior e uma Unidade de Cuidados Continuados.

Outro dos homenageados da tarde foi Manuel Seca, diretor clínico do HTQ entre 2013 e 2016. Especialista em Cirurgia Geral, Manuel Seca foi chefe de serviço de Cirurgia Geral e diretor da Unidade de Cirurgia e Ambulatório do Hospital de Santo António. Professor catedrático convidado no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar até 2011, foi também um dos pilares da criação do HTQ, onde continua a prestar serviços clínicos.

O terceiro homenageado foi o administrador do HTQ, Manuel Lemos, que foi apanhado de surpresa, pois apenas as homenagens de Paulo Mendo e de Manuel Seca estavam no programa. No entanto, os colaboradores do HTQ quiseram distinguir o timoneiro e o principal rosto desta unidade privada de saúde, tanto pelo que tem sido o seu papel no plano da gestão, como pela sua visão e estratégia, bem visíveis na conceção destas I Jornadas de Saúde de Trás-os-Montes e Alto Douro.

As homenagens contaram com a presença do ministro da Ciência e do Ensino Superior, Manuel Heitor, que realçou o espírito de cooperação entre as diversas entidades organizadoras: HTQ, Unidade Local de Saúde do Nordeste (ULSNE), Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD), Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e Instituto Politécnico de Bragança (IPB).

Outro dos pontos altos do evento foi a apresentação de comunicações livres e posters, num total de 40.

Ao todo foram entregues prémios no valor de 3 500 euros às três melhores comunicações e três melhores posters apresentados.

Na categoria Comunicações Orais, as vencedoras foram: 1.º prémio – Mara Rodrigues (nutricionista HTQ); 2.º – Ilda Barreira (enfermeira ULSNE); 3.º – Sónia Casado (enfermeira ULSNE).
Na categoria Posters: 1.º prémio – Carolina Afonso (interna de Medicina Interna de Ortopedia da ULSNE); 2.º – Joana Breda (diretora da Residência Sénior Terra Quente); 3.º – Natália Ledesma e Sandra Linhares (enfermeiras ULSNE).

Durante dois dias, especialistas nas áreas do ensino e da saúde debateram temas com grandes repercussões na região, tais como o envelhecimento da população, a diabetes, as doenças cardiovasculares e cerebrovasculares e a cirurgia de ambulatório, que protagonizou um dos debates mais participados.
Além da forte presença de médicos, enfermeiros e técnicos de saúde, esta iniciativa contou com uma grande representação de docentes e investigadores, a par de dezenas de alunos que frequentam cursos na área da saúde.

A união faz a força

O administrador do HTQ, Manuel Lemos, faz um balanço positivo das Jornadas, mas avisa que o sucesso só está garantido se, a partir de agora, “houverem mais ações de complementaridade e sinergias entre todos estes organismos”. Para o responsável, é imperioso “promover parcerias entre os serviços públicos e privados, de forma a evitar que os doentes tenham de se deslocar ao litoral do país para poderem ser tratados, contribuindo, também, para a fixação de médicos na região”.

O presidente da Câmara de Mirandela, António Branco, concorda com esta visão. Para o autarca a aposta tem que ser no “trabalho de complementaridade e não de concorrência. Não se trata de tirar valências ao serviço público, mas ter um complemento privado que possa suportar algumas necessidades e não transportar para o litoral necessidades da região”, sustentou António Branco

Na sessão de encerramento, a coordenadora das Jornadas e diretora clínica do HTQ, Dina Carvalho, não poupou elogios a toda a equipa que organizou o evento e lançou pistas para o futuro. “Unidos seremos mais fortes e poderemos facilmente complementar-nos, valorizando o que cada um de nós faz de melhor, dando uma resposta mais eficaz aos utentes de Trás-os-Montes e Alto Douro”, frisou.

A abertura das Jornadas contou com a presença do secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, que elogiou a iniciativa. “É desta forma que se fortalece a região”, defendeu.

Share.

Deixe Comentário