Na passada sexta-feira, dia 24 de novembro, dois ex-alunos da Escola Profissional de Chaves (EPC) voltaram ao local onde se formaram para contar como tem sido a sua vida desde que terminaram os estudos.

“Ex-alunos vêm à Escola” é o nome de uma iniciativa da Escola Profissional de Chaves que todos os anos leva antigos alunos até às suas instalações para que estes possam dar o seu testemunho daquilo que é a sua vida depois de terem concluído os estudos. Este ano foram escolhidos dois ex-alunos que terminaram o curso Restauração/Cozinha – Pastelaria no ano letivo 2015/16: a Ana Margarida Salgado e o Senga Kasongo.
Ana Margarida, que no último ano do curso foi a melhor aluna de toda a escola, trabalha atualmente no Vidago Palace Hotel, local onde fez o terceiro estágio e cuja nota final foi de 19 valores. A jovem flaviense trabalha com o Chef Vítor Matos, distinguido com uma Estrela Michelin. Senga esteve nos Estados Unidos da América a trabalhar na sua área em resorts de luxo e agora está de regresso a Portugal tendo recebido um convite irrecusável do conceituado Chef Rui Paula, também detentor de uma Estrela Michelin, para trabalhar consigo no restaurante Casa de Chá da Boa Nova, em Leça da Palmeira. A Estrela Michelin é vista como o ponto mais alto que um restaurante ou chef podem alcançar. Se a conquista de uma estrela pode colocar um restaurante no mapa da gastronomia mundial, perder uma estrela pode significar a sua ruína. O máximo que se pode alcançar são três estrelas, sendo sinónimo de uma cozinha de luxo e irrepreensível e que deve estar na lista de locais a visitar antes de morrer.
A apresentação, que decorreu de forma informal como se de uma conversa entre amigos se tratasse, foi feita no auditório da Escola Profissional de Chaves e a plateia era composta por alunos dos três anos dos cursos Restauração/Cozinha – Pastelaria e Restauração/Restaurante – Bar. A Ana Margarida e o Senga mostraram fotografias e vídeos daquilo que tem sido o seu percurso desde que entraram para a EPC até aos dias de hoje.
Os dois jovens, ambos com 21 anos, demonstraram-se muito satisfeitos por poder regressar à Escola que os catapultou para o mercado de trabalho. “É muito bom ter a oportunidade de vir cá mostrar a nossa história, o percurso que fizemos até agora”, afirmou Ana Margarida. Por sua vez, Senga explicou que “foi muito gratificante estar nesta Escola porque desde o primeiro dia nos acolheram muito bem. Tanto os professores, como a direção, estiveram connosco do início ao fim. Quando eles dizem que vão estar sempre connosco, eles estão mesmo sempre connosco”.
Para Ana Margarida, o mais importante é “gostar do que fazemos porque são muitas horas. Se nós gostarmos do que fazemos as coisas saem muito melhor”. Já Senga acredita que a dedicação é a chave do sucesso: “Dedico-me todos os dias, leio, estudo e quero ser sempre o melhor. E as pessoas que gostam de pastelaria têm de fazer isso. Não basta dizer ‘Eu quero ser pasteleiro’. Tens de trabalhar, como em todos os outros trabalhos. Ninguém é perfeito. Podes ser o melhor, o mais talentoso do mundo. Se tiveres talento mas não trabalhares, e quem está ao teu lado se esforçar para ser melhor que tu, vai ser melhor que tu”.
Quando questionados acerca dos planos que têm para o futuro, ambos continuam a ver as suas vidas ligadas à área da pastelaria. Ana Margarida ambiciona poder um dia ir para o estrangeiro, contudo, por enquanto, quer continuar a aproveitar a oportunidade de trabalhar e aprender com um chef distinguido com uma Estrela Michelin. Senga Kasongo espera um dia poder regressar a África, onde tem as suas origens, e abrir o seu próprio negócio.
No final da apresentação, Ana Margarida e Senga foram para a cozinha onde puderam dar algumas dicas sobre a confeção de determinados pratos aos atuais alunos.

Maura Teixeira

Share.

Deixe Comentário