Dakota Minerals é a empresa mineira australiana que pretende investir entre 185 a 370 milhões de euros em Montalegre na criação de um complexo de extração e processamento de compostos de lítio para fabrico de baterias.

Orlando Alves, presidente da Câmara de Montalegre

O objetivo é a utilização do lítio para a produção de baterias que forneçam carros elétricos, cujas vendas aumentaram mais de 200% em Portugal só em janeiro.
A Dakota Minerals prevê um investimento entre 185 e 370 milhões de euros até 2019 na região montalegrense para a exploração da mina e a construção de uma fábrica na qual será feito o processamento dos compostos de lítio. Aquilo que é pretendido é efetuar o processamento do lítio em Portugal com o recurso a energia hídrica e exportar o produto em camiões elétricos para as fábricas de baterias existentes na Europa.
“Sabemos que se trata de uma enorme jazida, com uma relevância muito grande. Em termos de quantidade de produto há condições para que possa ser explorada. Os primeiros indícios que chegaram apontam para uma excelente qualidade do mineral. Assim sendo, mais dia, menos dia naturalmente vamos ter aqui o investimento”, explicou Orlando Alves, presidente da Câmara Municipal de Montalegre.

O autarca barrosão demonstrou-se muito otimista com o investimento que a empresa mineira australiana vai fazer na região: “De uma coisa eu tenho a certeza. É uma dádiva divina que nos está aqui a cair e que temos de saber agarrá-la para que se criem empregos na região e para que à mesma se dê a necessária sustentabilidade”.
Na fase de prospeção e análise foram já investidos pela empresa mineira cerca de um milhão de euros. Com a concretização da exploração e do projeto da fábrica, prevê-se a criação de 200 postos de trabalho.

Maura Teixeira

Share.

Deixe Comentário