A Associação Promotora do Ensino de Enfermagem em Chaves (APEEC) cedeu à Cruz Vermelha Portuguesa as instalações da Escola Superior de Enfermagem Dr. José Timóteo Montalvão Machado, em Chaves. O contrato de cedência foi assinado no passado domingo, dia 8 de julho, concretizando assim uma necessidade urgente de dinamização desta instituição de ensino superior.

Depois de Lisboa e Oliveira de Azeméis, a cidade de Chaves integra a rede nacional da Cruz Vermelha Portuguesa e Espanhola, que vai funcionar como um Pólo Ibérico, prevendo-se que alcance um total de 1500 alunos.
A Cruz Vermelha Portuguesa, ao assumir este novo projeto pedagógico e administrativo, pretende a curto prazo constituir-se como Escola Superior de Saúde com dupla titulação, isto é, com cursos acreditados nos dois países, no sentido de promover a frequência de estudantes da Península Ibérica.
Para o presidente da Câmara de Chaves e da Direção da APEEC, Nuno Vaz, “esta foi a solução encontrada para a redinamização do ensino superior da região do Alto Tâmega” permitindo a capacitação do ensino, atração e fixação de população, sobretudo a mais jovem. Neste âmbito “estão a ser criadas as condições para que o concelho flaviense seja reconhecido como território da água, do bem-estar e saúde”.
Francisco George, presidente da Cruz Vermelha, realçou o período de inovação no contexto de cooperação com a Cruz Vermelha espanhola, numa gestão conjunta de promoção do ensino bilingue (português e castelhano).
A Cruz Vermelha Portuguesa pretende lecionar já no próximo ano letivo (2018-2019), em Chaves, os cursos de Fisioterapia, Imagem Médica e Radioterapia, além da manutenção do curso de Ciências de Enfermagem. A reorganização institucional conta apenas com a alteração na liderança pedagógica, que será liderada de forma transitória pelo Prof. Henrique Pereira, atual presidente do Conselho de Direção da Escola Superior de Saúde de Oliveira de Azeméis, havendo a garantia da manutenção de todos os postos de trabalho.

 

loading...
Share.

Deixe Comentário